Dois assaltantes forçaram a entrada em uma casa, procurando por ouro. Os dois encapuzados invadiram a casa onde estavam uma mulher de 50 anos, com seu filho, de 18 e portador de uma deficiência mental. São eles os únicos moradores dessa casa, e os assaltantes poderiam ter saber disso quando partiram para esse assalto. Ao entrarem na casa, pediram o ouro. 

Tudo isso aconteceu em Famalicão, uma localidade no norte de Portugal, e pior do que o assalto, foi mesmo  #Violência que usaram sobre os dois moradores da casa.

Como aconteceu o assalto

De acordo com o jornal Correio da Manhã, seria por volta das oito horas da noite, quando o assalto se deu.

Publicidade
Publicidade

A mulher estava preparando o jantar, quando notou que alguém estava tentando abrir a porta da frente. Correu na direção da porta, e viu os dois homens com a cara tapada entrando dentro de casa, já com a porta arrombada. Enquanto agarravam a mulher, perguntaram onde é que ela guardava o ouro. 

Foi aí que o filho, o jovem com deficiência, tentou acudir a mãe e foi alvo de várias agressões. Os dois homens teriam dado vários socos e pontapés no garoto, de acordo com o que a mãe contou mais tarde para o Correio da Manhã. 

Após essas agressões, os homens começaram a revistar toda a casa, procurando por alguma coisa de valor que pudessem roubar. Enquanto isso, o garoto teria conseguido fugir, pedindo ajuda na rua. 

Quando escutaram os gritos do moço, os assaltantes notaram  perigo e fugiram. Apesar dos estragos na casa e das agressões violentas, acabaram por levar apenas um brinco de ouro, que arrancaram da orelha da dona da casa, antes de saírem em fuga. 

Assaltantes ainda em fuga

Após o assalto, os dois homens conseguiram fugir.

Publicidade

Para trás, deixaram o medo e também a faca com a qual teriam intimidado a família. A polícia já pegou a faca e está investigando esse assalto. No entanto, os dois criminosos continuam foragidos.

Mãe e filho foram alvos de agressões, e estão se recuperando dos "vários hematomas" sofridos, como contou a mulher, de 50 anos, para o Correio da Manhã.  #Europa #Crime