Cesar Millan, conhecido por todos como 'Encantador de cães', vem sendo investigado por maus tratos a animais, ele também estrela um programa na televisão com o mesmo nome. Conforme informou o Portal 'The Wrap', investigadores visitaram, nesta quinta-feira (10), o sitio de Cesar, na Califórnia, o qual ele intitula de 'Centro de psicologia canina'.

O Vice-diretor do Departamento de Cuidados e Controle de Animais de Los Angeles, Danny Ubario, garantiu que a visita foi pelo fato de ter recebido queixas de crueldades contra animais.

"Nós recebemos a queixa e vamos investigar os fatos". Disse Urbario.

Os rumores de maus tratos aumentaram depois de um episódio ocorrido em seu programa, onde ele garante 'educar' cachorros com mau #Comportamento, um dos #Cães que participavam do treinamento atacou violentamente um porco.

Publicidade
Publicidade

Na sequência do episódio, o buldogue francês Simon, que estava sendo treinado para conviver pacificamente com outros animais, pois segundo sua dona o buldogue já havia matado dois porcos de estimação. Segundo Millan essa convivência entre os bichos é muito saudável porque cria uma 'memória positiva' deles.

Quando se viu livre da coleira Simon enfurecido atacou um dos porcos, ignorando totalmente os comandos de seu adestrador, arrancando parte de uma das orelhas do suíno. Um vídeo que está sendo exibido no YouTube, fazendo críticas aos métodos de Cesar, mostra o porco sendo segurado pelas pernas, isso agrava mais ainda a situação do 'Encantador de Cães'.

A National Geographic Wild, transmissora do programa que Millan apresenta sai em defesa dele.

"Ele se dedicou a vida toda para ajudar cães e mostrar depois os mesmos animais reabilitados e recuperados.

Publicidade

Ele sempre toma todas as precauções necessárias'.

A National ainda garante que o porco foi socorrido prontamente e se recupera bem. Cesar Millan recebe críticas por se utilizar de métodos considerados 'perigosos e ilegais' para o adestramento de animais. O prazo para ele se apresentar e responder às investigações é de 24 horas. #Violência