Bruxelas está novamente vivendo um dia muito agitado e problemático. Tal como informa o site “Notícias ao Minuto”, em poucas horas uma explosão foi ouvida pelos habitantes da capital belga, bem como, já na tarde de hoje, a estação de metrô Arts-Loi foi evacuada por um homem, visivelmente agitado, não ter obedecido às ordens policiais e ter alegadamente escondido o que tinha dentro do seu casaco. Quanto à explosão, a imprensa acredita que esteja relacionada com um homem que estaria encurralado pelas autoridades.

Passaram três dias desde os dois atentados do #Estado Islâmico a Bruxelas, mas o caos e o terror ainda permanecem na cidade que é considerada a capital da União Europeia.

Publicidade
Publicidade

Depois de na noite de hoje as autoridades terem conseguido deter sete homens, em mais uma tentativa de evitar um novo atentado na cidade, uma explosão fez se sentir no centro de Bruxelas.

Segundo informa a imprensa belga, foi no bairro de Schaarbeek que se ouviu a explosão, que ao que tudo indica felizmente não causou qualquer tipo de vítima. Poucas horas mais tarde, como medida de prevenção, as autoridades temeram que um homem no metrô de Arts-Loi pudessem ter explosivos no seu corpo e evacuaram rapidamente o local. Mais tarde, apenas se concluiu que era um homem claramente perturbado e que por alguma razão não respondeu às ordens das autoridades quando pediram para ele abrir o seu casaco.

Prosseguem assim as buscas das autoridades belgas a vários apartamentos alegadamente relacionados com a célula do Estado Islâmico que organizou os atentados em Paris, no passado dia 13 de novembro, e agora os dois atentados em Bruxelas, que causaram mais de 300 feridos e 31 mortes confirmadas até ao momento.

Publicidade

Também nos arredores do país já foi feita uma detenção na noite de ontem, dia 24 de março, a um terrorista ligado ao Estado Islâmico que a polícia francesa garantiu já estar em uma fase bem avançada no planejamento de um atentado no centro de Paris que iria provocar muitas mortes, tal como aconteceu no ano passado em que menos de 10 jihadistas provocaram 137 mortes. #Terrorismo #Europa