Uma adolescente de 16 anos, de Sydney,  apareceu no tribunal sob a acusação de financiamento ao Estado Islâmico - pena de até 25 anos de prisão. Ela é acusada de enviar milhares de dólares para o auto-proclamado #Estado Islâmico por transferência através do Western Union.

A garota e o cúmplice, de 20 anos, denominado Milad Atai, que supostamente deu a ela o dinheiro, foram presos em batida policial na terça-feira, 22. Os dois alegaram terem se encontrado em um parque na terça para discutir um plano para enviar dinheiro para a Síria naquele dia, segundo relatos. Eles supostamente foram bem sucedidos em transferências realizadas anteriormente.

Publicidade
Publicidade

Milaid foi preso em setembro de 2014 durante batidas policiais de combate ao terror na Austrália.

Transferências de dinheiro

A adolescente é acusada de admitir para um informante da polícia ter enviado 10 mil dólares australianos (aproximadamente 27 mil e 800 reais) para a Síria a pedido de um militante do Estado Islâmico.

Ela também alegou planejar realizar outra transferência de 5 mil dólares australianos, quando ela foi pega na terça de manhã no parque quando se encontrava com Milaid, que lhe entregou o dinheiro. 

O advogado da acusada argumentou que a acusação foi baseada em conclusões retiradas de sua conversa com o informante da polícia, que pode ter feito a armadilha.

A Empresa de Radiodifusão Australiana informou que Milaid ainda está sendo investigado pela morte do policial Curtis Cheng, que foi morto a tiros por um garoto de 15 anos, Farhad Jabar.

Publicidade

Supostos adeptos do Estado Islâmico na Austrália

Em fevereiro de 2015, a polícia australiana prendeu dois supostos adeptos do EI acusados de planejar um ataque terrorista em Sydney. A busca da polícia, realizada no subúrbio oeste da cidade, resultou na captura de Omar al-Kutobi e Mohammad Kiad, de 24 e 25 anos, respectivamente.

Em dezembro de 2014, um adepto do EI fez 18 reféns em um café em Sydney, na qual morreram três pessoas, entre elas o sequestrador.

A Austrália tem estado preocupada sobre a questão de jovens australianos como alvo do grupo radical. O governo australiano estima que 140 australianos apoiem o grupo na Austrália e cerca de 90 estejam lutando ao lado do EI na Síria e no Iraque. #Casos de polícia