Alexia Silva, emigrante portuguesa que estava vivendo na França com os pais, foi encontrada morta pelas autoridades francesas depois de uma busca intensa que durou mais de um mês. Tal como garante o jornal “Correio da Manhã”, a adolescente de apenas 15 anos, no dia 1º de fevereiro, foi vista pela última vez junto à sua escola, onde teria enviado uma mensagem a um amigo, tendo o seu celular sido desligado poucos momentos mais tarde. Rapidamente a Polícia francesa tomou conta do caso, mas só agora, passado mais de um mês, se descobriu o destino da portuguesa, escondida por plantas, o que apenas tira todas as dúvidas do desfecho macabro que sofreu: foi assassinada.

Publicidade
Publicidade

Com uma enorme comunidade de emigrantes portugueses, mas também de brasileiros, a França tenta ao máximo assegurar a total segurança das pessoas que decidem procurar uma vida melhor em um país que é conhecido historicamente por ser muito liberal e que procura sempre ajudar as pessoas que nele querem trabalhar.

Contudo, em uma fase que a Polícia francesa está sendo colocada à prova pelas constantes ameaças que recebem de potenciais ataques terroristas, o trabalho da Polícia francesa pode sair prejudicada, algo que parece ter acontecido neste caso. Foram precisos 40 dias para o corpo de Alexia Silva ter sido finalmente encontrado, que estava totalmente escondido por plantas na região onde vivia. Feitos os testes de DNA, ficou confirmada a identidade da menina, que não terá sofrido nenhuma violência sexual, segundo informa o Ministério Público francês.

Publicidade

Resta agora a Polícia francesa iniciar o caso da morte misteriosa da jovem Alexia Silva e, através das primeiras análises do corpo, perceber qual foi o motivo da morte da menina portuguesa. A única coisa que parece ser certa é que a última ação conhecida da jovem foi o envio de uma mensagem de texto a um dos seus amigos, sendo que o que aconteceu depois disso é totalmente desconhecido e pode levar a várias interpretações para as pessoas, sobretudo a comunidade portuguesa na França que estão acompanhando de perto esse caso verdadeiramente trágico e macabro. #Europa #Crime #Investigação Criminal