O grupo hacktivista Anonymous, conhecido por tirar do ar grandes sites da internet, publicou um vídeo onde declara guerra ao pré-candidato à presidência dos Estados Unidos Donald Trump. Com membros espalhados por todo o mundo, o grupo é contrário aos posicionamentos que consideram “inconsistentes e de ódio” pregados por Trump. Desde 2015, o grupo já havia se mostrado incomodado com o discurso racista e contra muçulmanos de Donald Trump, agora que as #Eleições para presidente dos estados Unidos se aproximam, resolveram adotar uma atitude mais ativa em face ao crescimento nas pesquisas eleitorais do candidato.  

“Nós precisamos derrubar sua campanha e sabotar sua marca”, disse um membro do grupo.

Publicidade
Publicidade

Segundo membros do Anomymous o discurso de Trump “não só chocou os Estados Unidos, como todo o planeta”.

O grupo agora mira “derrubar” os sites TrumpChicago.com e donaldtrump2016online.com utilizados pelo candidato em sua campanha eleitoral e para isso, pedem ajuda na internet a todos seus membros.

O Anomymous surgiu como uma forma de protesto virtual e logo conseguiu juntar vários adeptos pelo mundo que se identificaram com a maneira que o grupo utiliza para protestar. Ficou também conhecido mundialmente depois de realizarem vários ataques cibernéticos a sites da pagamentos como Paypal e Mastercard depois que estes se negaram a monetizar o site de informações confidenciais WikiLeaks. O Anomymous também ajudaram a população egípcia a se manter #Conectados com à internet durante a onda de protestos que aconteceu no Egito no início da primavera Árabe, quando o governo cortou todas as conexões com a rede mundial.

Publicidade

Atualmente o #Anonymous está em outra guerra virtual, contra o grupo terrorista Estado Islâmico, derrubando perfis em redes sociais e sites ligados a membros do EI, o objetivo é dificultar a comunicação entre os terroristas.

No Brasil, o Anonymous ficou muito conhecido por divulgar e incentivar nas redes sociais os protestos contra o governo Dilma ocorridos em 2015 quando milhares de manifestantes foram às ruas usando a máscara (guy fawkes) usada pelo personagem do filme V de Vingança.