Um homem de 22 anos de Indiana, Estados Unidos da América, está sendo acusado pela morte de uma bebê de apenas um ano. Kyle Parker foi formalmente acusado, nesta segunda-feira, pela morte de Shaylyn Ammerman, estando agora aguardando, na cadeia, pela conclusão desse julgamento. Ao todo, o homem ficou acusado pelos crimes de assassinato, estupro, abuso de crianças, sequestro, lesão corporal grave e estrangulamento. 

A menina teria desaparecido de dentro da própria casa, quando estava passando alguns dias com o pai e a avó paterna, na última semana. Shaylyn sumiu durante a noite e quando o pai acordou, a bebê já não se encontrava na cama.

Publicidade
Publicidade

Poucos dias depois a polícia acabou por encontrar seu corpo, já sem vida. Nesse momento, Kyle Parker já tinha sido detido e se apresentava como o principal suspeito no sequestro da criança. 

De acordo com a médica legista, Donna Stewart, que examinou o corpo da menina, os danos na criança foram chocantes. Donna revelou que esse foi "o caso mais grave de agressão sexual" que ela viu em toda sua carreira. Na autópsia, ficaram claras e explicadas as graves lesões, assim como as agressões sexuais que a menina teria sofrido nas mãos do alegado suspeito. 

O homem estaria na casa do pai da menina, como convidado nessa noite, e teria acabado a levando no seu carro, sem que ninguém notasse. A menina ficou com várias lesões no corpo, vários golpes também na zona vaginal. A causa da morte teria sido asfixia.

Publicidade

O homem teria usado uma peça de roupa, que já levava em seu carro, para sufocar a criança, podendo este crime ter sido premeditado. Parker poderia já ter pensado nesse crime, antes mesmo de ter roubado a menina de dentro da casa do amigo. 

Após as agressões, a violação e a morte, o homem teria derramado água sanitária sobre o corpo despido da menina, tentando limpar qualquer prova que o pudesse incriminar. As roupas da bebê e a chupeta foram queimadas e seu corpo jogado entre arbustos, ocultando o cadáver da vítima. 

Alguns amigos revelaram que o Kyle Parker se sentia atraído sexualmente por meninas entre os 12 e 14 anos, sendo que suas tendências de pedofilia eram bem conhecidas por todos. 

O crime é chocante e o caso terá pouca defesa em tribunal. Mesmo que a defesa do arguido apresente uma condição mental ou o alcoolismo como influência nesse crime, o tribunal não deverá relevar ou considerar como atenuante.  Até porque o homem tentou limpar as provas, para não ser apanhado, o que revela inteligência, de acordo com o procurador Jack Crawford, que falou para a televisão americana.  #Justiça #EUA #Casos de polícia