Uma mulher de 25 anos está sendo acusada pela morte de seu enteado, Austin Cooper, no Ohio, nos Estados Unidos da América. O menino tinha apenas quatro anos e teria sido mergulhado em água fervente pela madrasta, Anna Ritchie. Após queimar a criança, a mulher o teria colocado para dormir e só na manhã seguinte, na quarta-feira, percebeu que a criança não estava respirando. 

Após perceber o estado de Austin, Anna teria chamado a emergência, alertando mesmo para esse fato, por já não notar qualquer respiração nem sinal de vida no menino. Os médicos se deslocaram de imediato, para o local mas já não puderam fazer nada que evitasse essa grande tragédia e apenas confirmaram a morte do menino. 

Confrontada pelas autoridades, Anna Ritchie contou o que teria feito com o enteado, na noite anterior.

Publicidade
Publicidade

Por um suposto mau comportamento do menino de quatro anos, a madrasta teria colocado as pernas dele em água fervente, como castigo, para que ele pudesse aprender. O punimento severo apresentaria contornos ainda piores, uma vez que a mulher em vez de chamar logo a emergência, pedindo por ajuda para tratar as feridas da criança, ela preferiu colocá-lo para dormir. 

Só na manhã seguinte é que ela passou pelo quarto da criança e chamou ajuda, quando já era tarde demais. Por enquanto, ainda não foi confirmada a hora da morte de Austin, mas se suspeita que o menino não teria morrido logo na hora das queimaduras, podendo ter ficado sofrendo durante algumas horas da noite, sem que a madrasta o tivesse ajudado. Anna Ritchie nega ter-se dado conta da gravidade das lesões no momento em que deitou a criança para dormir. 

Os resultados da autópsia deverão sair nos próximos dias e deverão ajudar a esclarecer as reais circunstâncias dessa morte cruel e angustiante.

Publicidade

Um procurador de #Justiça já ordenou um inquérito e o caso está sendo investigado, mesmo antes dos resultados da autópsia saírem. 

A mulher que já confessou sua ação nessa morte, já foi detida e está inicialmente acusada pelo assassinato de Austin, ficando presa na cadeia de Warren County, onde permanecerá enquanto a investigação está decorrendo.   #EUA #Casos de polícia