O jovem de 19 anos, que conduziu a viatura no momento do acidente que matou doze imigrantes portugueses, pode ficar preso nos próximos 10 anos, bem como ter que pagar 150 mil euros. Segundo informa o “Jornal de Notícias”, será essa a intenção das acusações contra o jovem condutor, alegando que ele, juntamente com o dono das viaturas, que é seu tio, cometeram o crime de homicídio involuntário de doze pessoas que viajavam da Suíça para Portugal sem qualquer tipo de segurança e sem condições mínimas.

Passou praticamente uma semana desde o pior acidente da história da comunidade imigrante portuguesa nas últimas décadas, mas só agora o condutor da viatura, que foi o único sobrevivente da tragédia, vai falar com as autoridades francesas e explicar o que provocou o acidente frontal contra um camião que circulava em sentido oposto a alta velocidade.

Publicidade
Publicidade

Segundo informa o “Jornal de Notícias”, tanto o jovem português como o seu tio, dono das viaturas e da alegada empresa de transportes ilegais, foram hoje interrogados em Moulins pelo time de investigação do caso, bem como pela as autoridades que têm acompanhado o caso desde que chegaram ao local do acidente. A mesma publicação garante que o mais provável é que o motorista, que nem idade mínima legal tinha para conduzir um número tão elevado de passageiros, seja acusado de homicídio involuntário, o que significaria uma pena de prisão até 10 anos e também uma multa astronômica no valor de 150 mil euros, que podia colocar o acusado na miséria.

O Consulado português já garantiu apoio na defesa dos dois imigrantes portugueses detidos, sendo que, só após vários dias de investigação, as autoridades francesas, e avaliando os depoimentos de ambos, concluiriam se há razões suficientes para avançar com a acusação de homicídio involuntário para os dois envolvidos. Tal como informa a imprensa internacional, o uso de cadeiras de praia, o excesso de passageiros na viatura e o fato do jovem não ter idade mínima para transportar doze pessoas parecem ser crimes suficientes para avançar para uma acusação com esse grau de gravidade.

Publicidade

#Europa #Investigação Criminal #Emigração