A mulher acusada de decapitar uma criança afirmou nesta quarta-feira (2) que atendeu a uma ordem de Alá para cometer o assassinato. Guiulchejra Bobokulova, nascida no Uzbequistão, teve sua prisão preventiva decretada pela Corte de Moscou.

Ela disse ainda que entendia a sua prisão, que estava “de acordo”, e que não tinha nada contra.

Os investigadores do caso acreditam que a babá obteve ajuda de mais alguém para cometer o assassinato. Segundo eles, pode haver outros envolvidos no caso, embora ainda as identidades não tenham sido reveladas.

Quando questionada pelos jornalistas o que teria motivado o #Crime que ela teria cometido, ela respondeu que tomou a decisão de matar a menina por uma ordem vinda de Alá.

Publicidade
Publicidade

Fontes locais afirmam que a babá passava por um momento de transtorno mental agudo quando assassinou a criança. A família não estava em casa quando ocorreu o fato.

O Caso

Na manhã da última segunda-feira (29). uma mulher foi detida em Moscou, ela passeava com uma cabeça decapitada de uma criança de quatro anos de idade.

A mulher estava vestida com uma roupa comum entre mulheres muçulmanas. Enquanto passeava próximo a uma estação de metrô ela gritava em árabe “Deus é grande” e dizia ser uma terrorista.

De acordo com fontes da Rússia, os bombeiros receberam uma mensagem informando um incêndio em um endereço, próximo à rua onde a mulher passeava, rapidamente os bombeiros chegaram ao local.

Ao conseguirem conter o fogo, duas horas depois da chegada, os bombeiros encontraram um corpo sem cabeça de uma criança.

Publicidade

A acusada havia colocado a cabeça da criança dentro de uma mochila antes de deixar o apartamento em direção a uma estação de metrô mais próxima da rua em que se encontrava: a estação Oktiabrskoie Pole.

A acusada tem 38 anos, trabalhava como babá para a família por mais ou menos um ano e meio. A família informou que percebeu que a mulher havia estado irritada por problemas familiares, mas não havia nenhuma outra queixa em relação à ela.

Em um primeiro interrogatório ela havia atribuído o assassinato a uma infidelidade de seu marido.

Ao saber do ocorrido, a mãe da criança ficou em estado de choque e teve de ser atendida por serviço médico. #Terrorismo #Ataque Terrorista