Sofya Tsygankova, de 31 anos, é a principal suspeita pela morte de duas crianças, suas filhas. Nika, de cinco anos, e Michella, de um ano apenas, foram encontradas já sem vida, dentro do apartamento da mãe, no Texas, Estados Unidos. Sofya Tsygankova estava ferida, "coberta de sangue" e gemendo quando o ex-marido a encontrou, no chão do quarto. E foi mesmo o antigo companheiro mulher quem chamou a emergência, alertando que a mulher "estava louca". 

Vadym Khlodoenko, de 29 anos, é um conhecido pianista ucraniano, que mora nos Estados Unidos da América, onde vive de sua música, sendo muito requisitado para espetáculos. Vadym casou com Sofya, em 2010, e tiveram duas filhas.

Publicidade
Publicidade

Mas o casal estava se separando, e iniciaram os procedimentos para o divórcio, em novembro de 2015. A mulher ficou com as crianças, na casa onde o casal morava antes da separação. 

Na última quinta-feira, Vadym se preparava para ir pegar as meninas para passarem algum tempo juntos. Quando chegou, encontrou o pior dos cenários, com as duas filhas mortas, deitadas nas camas, e a mulher em estado grave. Alegadamente, Sofya teria matado as meninas e teria se tentado suicidar de seguida, cortando um dos pulsos e também atingindo o peito. Entretanto, a profundidade dos golpes não foi suficiente e a mulher já está recuperada. 

Continua internada, mas em uma ala psiquiátrica, onde sua sanidade mental está sendo avaliada. Quando for liberada, será imediatamente transferida para a cadeia, com a possibilidade de pagamento de fiança, mas em um valor de mais de dois milhões de dólares. 

A polícia está investigando o caso, mas as primeiras informações dão conta de que a mulher está com problemas psicológicos, relacionados à depressão e psicoses.

Publicidade

Alegadamente, a separação estaria mexendo com a saúde mental de Sofya. Aos investigadores, a mulher contou logo que queria se matar. Mas, perguntou se tinha "acontecido algo mal" com as meninas, dando a entender que não se estava recordando. 

A causa de morte das meninas ainda não é conhecida, mas os policias adiantaram que não havia sinais de qualquer trauma ou agressão física. A possibilidade de envenenamento está sendo avaliada, mas os resultados das autópsias serão determinantes nesse caso, que terminou em grande tragédia. 

"A perda das minhas filhas ficará comigo para sempre", escreveu o pianista, em comunicado.  #Família #Justiça #Casos de polícia