A versal dominical do 'The Guardian', o 'Observer', publicou neste domingo, 20, um editorial criticando o governo brasileiro. Um dos principais jornais britânicos pediu que a presidente da república peça a renúncia e que novas eleições sejam convocadas para restabelecer o clima de calma no país. Mesmo sendo de linha centro-esquerda, o jornal dominical se diz preocupado com o fato dos protestos contra ou a favor de Dilma Rousseff saiam do controle e que isso poderia gerar um risco até de uma retomada do poder pelas Forças Armadas, que seria chamada para conter o caos. 

O editorial intitulado "A visão do Observer para o Brasil" lembra que a democracia no Brasil é extremamente recente, tendo seu fim há pouco mais de 30 anos.

Publicidade
Publicidade

Antes disso, os brasileiros foram governados por militares por duas décadas. Para o jornal, a crise econômica e o fracasso político de Dilma poderia fazer essa tendência voltar a crescer em nosso país. Em determinado trecho, o editorial dita a seguinte frase (traduzida): " O dever de Dilma é simples: se ela não pode restabelecer a calma, tem de convocar novas eleições - ou sair."

Não é a primeira vez que um grande jornal internacional faz críticas à #Dilma Rousseff. No meio da semana passada, o New York Times chamou de ridícula a decisão da presidente em nomear Luiz Inácio Lula da Silva para o Ministério da Casa Civil. #Lula só ainda não foi efetivamente empossado no cargo por conta de decisões judiciais. 

O jornal britânico entrevistou um cientista político brasileiro, Rafael Cortez, que explicou que a constituição brasileira impede que Dilma possa convocar novas eleições.

Publicidade

A única chance disso acontecer é a renúncia de Rousseff e de seu vice, Michel Temer. Outra possibilidade é a cassação da dupla por irregularidades na campanha, por exemplo. 

O 'Observer' lembra ainda que no fim do ano o Brasil receberá as Olimpíadas, mas que por conta do clima de instabilidade, o país não se tornou atrativo para os turistas, que devem evitar viajar para o Rio de Janeiro.  #Impeachment