Jax Trouson morreu durante o sono, sem que o pai pudesse cumprir seu desejo de passar um dia inteiro em um barco, no mar. O menino de dois anos será enterrado no próximo sábado, dia 19 de março, na Austrália, dentro de um barquinho de madeira, construído por seu pai, Shannon, que trabalha de carpinteiro. "Eu nunca irei fazer mais nada para ele", lamentou o homem, de 34 anos, que está com o coração destroçado com esta perda. Ele e sua esposa, Renee Pask  vão sepultar o filho desconhecendo ainda as causas da morte. 

Quando os pais acordaram, na manhã do último sábado, Jax já estava morto e com os lábios roxos, após ter tido um pouco de febre, na noite anterior.

Publicidade
Publicidade

A criança já não respirava na manhã seguinte, mas os resultados da autópsia deverão demorar algumas semanas. E só aí, os pais saberão qual a razão que tirou o "bebê milagre" de suas vidas. A mãe continua sem entender como foi possível que seu filho "lindo, perfeitamente saudável e cheio de vida"  tenha morrido dessa forma, repentinamente. 

Shannon e Renee lutaram muito para dar vida ao sonho de serem pais. Após várias tentativas, uma fertilização in-vitro resultou e nove meses após, nasceu o pequeno Jax, para dar mais alegria para sua casa. "Vou segurar sua mão para todo o sempre, te prometo", escreveu a mãe no Facebook, legendando uma fotografia em que aparecem mãe e filho, de mãos dadas, caminhando na praia. 

"Passamos tanto para o termos... ele era nosso anjo", contou a mãe, citada pelo jornal The Sun.

Publicidade

A mãe se despediu, dessa forma emocionada, do filho, com uma bonita homenagem no "lugar favorito de Jax". O menino amava a praia e o mar, e já estava prometido, por seu pai, um dia no barco. No entanto, a morte repentina da criança impediu que seu pai pudesse cumprir seu desejo mas, lavado em lágrimas, ele conseguiu construir uma urna em forma de barco, durante os últimos dias. 

Pais, familiares e amigos vão se despedir de Jax no sábado e o menino será enterrado dentro de um barco de madeira. Lamentando esta perda e aceitando o fato de não poder construir mais objeto nenhum para o menino, o pai sentiu que precisava de fazer isso para ele. #Família