Bruxelas e Paris: são essas as duas grandes células do #Estado Islâmico que preparam um ataque por toda a #Europa no futuro. Segundo informa o canal “CNN”, depois de analisados eletronicamente interrogatórios, resultados das buscas policiais e até mesmo de dados presentes, é possível concluir que os terroristas presentes no coração da Europa estão preparando uma série de atentados, um pouco por toda a Europa, com o objetivo de causar o caos no Ocidente, tentando matar o máximo de pessoas possível.

Depois dos atentados de Bruxelas, várias detenções, em Paris e na capital belga, foram feitas pelas autoridades europeias com o objetivo de prevenir o maior número de ameaças terroristas possível.

Publicidade
Publicidade

Com a polícia belga e francesa trabalhando em conjunto, foi possível perceber a existência de duas grandes células do Estado Islâmico presentes nas duas capitais europeias, que estão prontas para atacar o quanto antes.

Tal como informa o canal “CNN”, foi através dos últimos acontecimentos e das investigações levadas a cabo pelos jornalistas e as autoridades europeias, que é possível garantir que em Bruxelas e Paris há muito tempo se preparam novos atentados, um pouco por toda a Europa, tal como o Estado Islâmico sempre prometeu fazer nas suas variadas publicações oficiais, principalmente desde que a coligação internacional decidiu intervir na Guerra na Síria, bombardeando regularmente as zonas operacionais do maior grupo terrorista do mundo e da maior ameaça à paz do Ocidente.

Assim, e tal como tem se verificado nas últimas horas, ao todo já foram detidas pelo menos 8 pessoas, uma na França e sete na Bélgica, todas elas que estariam preparando um ataque terrorista em Paris e Bruxelas.

Publicidade

Contudo, as autoridades europeias estão ainda muito focadas na detenção do único suspeito conhecido que participou diretamente nos últimos atentados de Bruxelas e que ainda está em fuga. Enquanto isso, e apesar da presença massiva da polícia belga nas ruas, o Governo decidiu reduzir o alerta máximo terrorista do país, ficando agora no “muito provável” e não no “eminente”. #Terrorismo