Depois de mais de um mês de desaparecimento, Alexia Silva, jovem imigrante portuguesa, apareceu morta e os detalhes do #Crime parecem ser cada vez mais claros à medida que os resultados da autópsia e das investigações das autoridades são publicados. Tal como informa o conceituado jornal “Le Parisien”, a Polícia francesa acredita que, depois de ser assassinada por asfixia, o corpo da jovem foi transportado para vários locais até ser finalmente “enterrado” em uma ilha pequena. A conclusão parece ser óbvia pois, poucos dias depois de ser anunciado o desaparecimento da jovem, no dia 1 de fevereiro, as autoridades fizeram buscas na ilha, não tendo encontrado nada.

Publicidade
Publicidade

Em um dos crimes mais graves dos últimos anos nos arredores de Lyon, França, a população francesa, bem como a enorme comunidade emigrante de Portugal e também do Brasil, estão em choque com o assassinato que ganha cada vez mais contornos macabros e preocupantes com as descobertas e conclusões tiradas pelas autoridades.

No que foi uma verdadeira humilhação e falta de respeito para um cadáver, sobretudo por se tratar de uma adolescente de 15 anos, a Polícia francesa acredita que o corpo da jovem foi transportado e escondido em vários locais, o que pode provar que o assassino de Alexia pode ter sido alguém inexperiente e que não sabia qual o melhor local para fazer desaparecer um cadáver, tal como informa o jornal francês “Le Parisien”.

Segundo informa a imprensa francesa, cerca de 150 pessoas já foram entrevistas, todas elas com algum tipo de ligação com a jovem imigrante portuguesa, sendo que ainda não é conhecido se já foi identificado algum suspeito para esse caso.

Publicidade

O que também é uma informação nova é que Alexia saiu mais cedo do colégio depois de se ter chateado com o professor e ter sido expulsa da aula, por volta das 17 horas locais. Depois disso, apenas se sabe que a adolescente enviou uma mensagem a uma amiga à frente do seu colégio, sendo essa a última ação conhecida em vida de Alexia, que já teve uma marcha organizada por várias centenas de populares em sua homenagem. #Europa #Investigação Criminal