Os serviços de segurança europeus chegaram à conclusão que há pelo menos 400 terroristas do Estado Islâmico presente em território europeu e que estão treinador para provocar uma enorme onda de violência e terror. Assim como foi publicado pelo jornal inglês “Daily Express”, foi através da análise dos milhares de arquivos obtidos pelo canal “Sky News”, que os serviços de segurança, bem como as autoridades europeias, chegaram à conclusão que os próximos atentados terroristas realizados pelo #Estado Islâmico podem ter uma violência ainda superior ao que aconteceu recentemente em Bruxelas.

Depois dos ataques em Paris, que mataram 137 pessoas, em uma das principais capitais da #Europa, o Estado Islâmico fez várias ameaças a novos alvos no coração da Europa, porém, só depois dos atentados de Bruxelas é que os serviços de segurança europeus e as autoridades concluíram que os perigos de novos ataques são eminentes, visto que cerca de 400 terrorista estão treinados e prontos para atacar em um futuro próximo.

Publicidade
Publicidade

Segundo informa o jorna inglês “Daily Express” as conclusões foram tiradas depois de um alegado ex-terrorista, que esteve ao serviço do Estado Islâmico, ter revelado ao canal “Sky News” milhares de arquivos com informações sobre alegados radicais que estavam prontos para atacar na Europa. Depois de analisada toda a informação, as autoridades chegaram à conclusão que 400 terroristas sabem onde atacar e como provocar o pânico e o terror, caso recebam ordens para isso por parte do Estado Islâmico, que atualmente celebra as mortes provocadas no mais recente atentado em Bruxelas.

Por isso mesmo, as autoridades têm sérios receios de que os próximos ataques possam ser ainda mais violentos e fatais no coração da Europa. Segundo a mesma publicação, os alegados soldados do Estado Islâmico que estão em território europeu já tem todos os instrumentos, armas, instruções e indicações para atacar no futuro.

Publicidade

Para prevenir possíveis atentados em outras capitais europeias, as autoridades europeias já reforçaram toda a sua segurança, sobretudo nos locais com transportes públicos e no controle das suas fronteiras. #Terrorismo