A guerra civil na Síria acabou provocando a participação da Rússia de #Vladimir Putin no conflito armado, o que, inclusive, só fez piorar as relações entre a Rússia e a Turquia, quando essa última abateu o caça russo SU-24 sobre espaço aéreo da Síria, provocando imediatamente retaliações, não só em palavras, mas, principalmente, econômicas do Governo de Moscou em relação a Ancara, levando quase os dois países a uma guerra de amplo alcance. 

O que poucas pessoas sabem no mundo ocidental é que essa queda de braço entre russos e turcos também atingiu o campo cultural e religioso entre as duas nações, pois tão logo a força aérea turca abateu o avião de combate russo, Putin, em dezembro de 2015, instou que os turcos devolvessem a igreja de Santa Sofia (um dos principais cartões turísticos do país) à Igreja Ortodoxa. 

Obviamente, a Turquia não vai devolver coisa alguma à igreja, e, indiretamente aos russos, pois se fosse assim, ela já teria devolvido uma porção de relíquias e artefatos históricos ao povo da Grécia no passado, país que viveu em escravidão covarde por 400 anos nas mãos ferrenhas dos pachás e sultões turcos. 

Outro detalhe é que a igreja de Santa Sofia, em poder dos turcos, é resultado do espólio de guerra, algo cheio de simbolismo para o Governo de Ancara e, por último, o número de turistas que a igreja recebe de todas as partes do mundo, rende uma enorme quantidade de dinheiro e divisas ao tesouro turco. 

Por outro lado, essa foi mais uma das formas que Putin encontrou de colocar bastante pressão sobre a Turquia ou em outras palavras, de dizer, que ela irá pagar muito caro em todas as frentes, pela morte do oficial russo, piloto do SU24

Santa Sofia foi tomada pelo califado otomano em 1453, ocasião em que Constantinopla (atual Istambul) foi conquistada pelos guerreiros de Maomé II.

Publicidade
Publicidade

Mesmo assim, a Rússia que tem 98% de sua população composta de cristãos ortodoxos russos, insistiu na devolução da igreja de Santa Sofia ao mundo religioso da ortodoxia, tendo como outros principais representantes, os cristãos ortodoxos gregos. 

Todos os membros da Duma, que é o equivalente ao Parlamento russo, apoiaram imediatamente a proposta da devolução de Santa Sofia, baluarte dos ortodoxos à instituição da Igreja Ortodoxa como um todo.

O presidente da Comissão sobre questões de propriedade, que é também coordenador do grupo parlamentar da proteção dos valores cristãos, Sergei Gavrilov, disse que: “a Rússia considera possível devolver Santa Sofia, antigo santuário do mundo cristão, localizado em Constantinopla, que é uma ex-catedral bizantina associada com a história da igreja cristã universal.

Publicidade

Esperamos uma resposta amigável da Turquia, ou seja, o retorno de Santa Sofia à Igreja Ortodoxa", reiterou Gavrilov. 

A autoridade russa  acrescentou que seu país está disposto a contribuir financeiramente na restauração do monumento cristão universal e, para isso, contratará os melhores arquitetos e cientistas russos disponíveis. 

Santa Sofia foi transformada em uma mesquita, adquirindo o estatuto de museu em 1935. A igreja símbolo dos cristãos ortodoxos foi reconhecida como patrimônio da humanidade pela UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura no ano de 1985, juntamente com outros monumentos do centro histórico de Constantinopla. #Religião #Coalizão russa