Uma das doze vítimas mortais do acidente que chocou Portugal, uma imigrante portuguesa, menor, sabia perfeitamente dos perigos que era entrar no micro-ônibus, dada a falta de segurança clara. Em entrevista ao “Jornal de Notícias”, uma tia da vítima contou que a sobrinha apenas foi obrigada a entrar porque o seu cartão de cidadão estava vencido e, por isso mesmo, não estava autorizada a viajar de avião, como fazia regularmente. Assim, e contra a vontade da jovem, a imigrante portuguesa foi a última pessoa a entrar na viatura para, três horas mais tarde, perder a vida, juntamente com os outros passageiros.

O pior acidente da comunidade de imigração portuguesa está finalmente a ser desmontado e restam cada vez menos dúvidas do que de fato aconteceu e quem eram as vítimas do macabro acidente frontal de um micro-ônibus contra o caminhão.

Publicidade
Publicidade

Enquanto o único sobrevivente, o motorista não fala às autoridades, as famílias das vítimas vão contando os últimos momentos das vidas que se perderam.

Por isso mesmo, e em uma entrevista emocionada ao “Jornal de Notícias”, a tia da jovem imigrante portuguesa que perdeu a vida, revelou que a sobrinha sabia perfeitamente dos riscos que era viajar em uma viatura que não está destinada a transportar treze pessoas, mas sim no máximo nove, tal como já foi garantido pelas autoridades francesas. Contudo, e por completo azar, a jovem acabou sendo obrigada a entrar depois de ter reparado que o seu cartão de cidadão estava vencido e não permitia que ela viajasse da Suíça para Portugal como sempre fez: de avião.

Segundo a prima da vítima, o último familiar que esteve com a jovem, ela logo que viu o micro-ônibus quis voltar para trás, reparando imediatamente nos perigos que todo o mundo estava correndo ao fazer uma viagem de quase 24 horas por toda a #Europa em uma viatura sem cintos de segurança suficientes para proteger todos os passageiros.

Publicidade

Infelizmente, e mesmo contra a sua vontade, a menor acabou por ter razão nos seus receios e se tornou uma das vítimas do acidente macabro que está entristecendo a época da Páscoa de todos os portugueses. #Investigação Criminal #Emigração