Augusto Inácio deve pelo menos 400 mil reais ao Estado português, segundo informou o Fisco de Portugal em uma lista que foi tornada pública. Tal como informa o jornal “Sol”, o diretor do Sporting, que pode perfeitamente ser demitido depois dessa revelação, está incluído na lista dos descumpridores que devem pelo menos 400 mil reais, já depois de ter sido acusado de fraude fiscal em 2011. Conhecido por ser muito polêmico em todas as suas declarações, muitos dos seus apoiantes, nas redes sociais, exigem a demissão do diretor do Sporting.

Dois dias depois de ter atacado a estrutura do rival Benfica e ter posto em causa o profissionalismo de Júlio César, mas também da direção de Luís Filipe Vieira, o Fisco de Portugal decidiu divulgar uma enorme lista ao público, onde aparece o nome dos maiores descumpridores portugueses ao Estado português, onde Augusto Inácio aparece em evidência.

Publicidade
Publicidade

Após ter sido absolvido pelo  Tribunal português de várias acusações de fraude fiscal em um passado recente, Augusto Inácio está sendo novamente criticado pelos sportinguistas que não querem ver alguém com esse historico de descumprimento em um lugar de topo no Sporting, uma instituição que merece todo o respeito em Portugal e também em termos internacionais, tal como informa o jornal “Sol”. Assim, o nome do dirigente do Sporting está novamente manchado e é altamente provável que Bruno de Carvalho, o seu Presidente, não tolere uma pessoa com um historial tão preocupante.

Nas redes sociais, principalmente os benfiquistas, que estão fartos de ouvirem acusações semanais de Augusto Inácio na televisão portuguesa. São muitas as críticas apontadas ao diretor do rival, garantindo que agora perdeu toda a sua credibilidade e a sua imagem pública está definitivamente comprometida depois do Fisco ter tornado público a sua atual situação fiscal preocupante.

Publicidade

Apesar de toda a polêmica à sua volta, Augusto Inácio ainda não reagiu publicamente à lista que põe necessariamente em causa o seu bom nome perante milhões de pessoas. #Europa #Crime #Investigação Criminal