A população de cerca de 44 mil pessoas da cidade de Östersund, na Suécia, está sob estresse constante, principalmente as mulheres, que temem ser atacadas por imigrantes. Uma sensação de medo passou a fazer parte do cotidiano da pequena cidade, pois em apenas 3 semanas, duas meninas de 10 anos foram assediadas e uma mulher quase teve sua calça arrancada, além de outros ataques registrados. Em todos os casos, agressores imigrantes estavam envolvidos.

As garotas, no dia 20 de fevereiro, estavam em um ponto de ônibus, quando foram cercadas por um grupo de imigrantes, que tatearam seus corpos e ameaçaram estuprá-las. Adultos presenciaram a cena e intervieram, e os atacantes fugiram.

Publicidade
Publicidade

O #Ataque à mulher ocorreu no dia 6 de março, quando a cidadã sueca estava indo de um restaurante para sua casa e foi abordada por 3 homens. Dois deles lhe agrediram no estômago e a empurraram para o chão, enquanto o terceiro tentava retirar sua calça. A mulher, conhecedora de artes marciais, atingiu o agressor que tentava tirar sua roupa com o cotovelo, fazendo sua cabeça sangrar, o que fez com que o grupo de atacantes também fugisse neste caso.

Cotidiano sob tensão

A situação chegou ao ponto em que a polícia de Östersund está recomendando que as mulheres evitem ou deixem de andar sozinhas à noite, com o intuito de evitarem ser molestadas.

A então pacífica cidade, que antes possuía uma vida noturna comum, se tornou deserta à noite. Stephen Jerand, o comissário de polícia de Östersund, admitiu que as autoridades estão lutando para lidar com a situação, e  acrescentou que a recente onda de ataques parece “irreal”.

Publicidade

O oficial Jerand comentou, em entrevista ao site Mail Online, do Reino Unido: “Esta é uma pequena cidade onde grupos de homens estão atacando mulheres durante a noite. Nós queremos alertar o público e exortar as mulheres a não irem para casa pelas ruas da parte central da cidade depois do anoitecer, porque não é seguro”.

A polícia está confiante de que vai identificar e prender os agressores, mas até o momento, apenas um homem foi detido. Taleb Moafagh, de 22 anos, foi preso tentando fugir da Suécia para a Alemanha, e estaria ligado a um ataque ocorrido no dia 26 de fevereiro. #Europa #Crise migratória