Mais um capítulo muito importante na esfera da diplomacia internacional e que afeta a vida de todos parece estar sendo escrito neste exato momento. Trata-se, conforme informações reveladas recentemente pelo vice-ministro do Exterior russo, Sergei Ryabkov, do possível encontro em um futuro próximo dos chefes de estado da Rússia e dos #EUA.               

O alto diplomata russo Sergei Ryabkov disse ainda à agência de notícias RIA Novosti da Rússia, que os presidentes dos Estados Unidos da América e da Rússia vêm mantendo contato, tanto que foram feitos inúmeros diálogos telefônicos e, no último ano, a sociedade em geral pode presenciar um número expressivo de encontros entre as autoridades máximas dos dois países.

Publicidade
Publicidade

Em 2016, a agenda de reunião e outros contatos têm novamente a chance de acontecer. 

O russo Ryabkov foi responsável também por informar a pauta acerca do contato direto, sem intermediários, entre os dois chefes de Estado, afirmando que essa não diz respeito, por exemplo, à visita de dois dias de John Kerry, Secretário de Estado dos EUA, a Moscou para falar com o presidente russo, visita que foi iniciada em 24 de março de 2016. 

Durante o encontro entre Kerry e Pútin, foi divulgado um vídeo, no qual este fez uma piada sobre a maleta que Kerry trouxe à Rússia, onde o russo disse que ninguém foi capaz de ajudar Kerry em transportá-la quando ele desembarcou em Moscou. Pútin disse que “a maleta poderia conter dinheiro para negociar com a Rússia”. Por sua vez, o secretário de Estado norte-americano prometeu ao presidente russo que mostraria o conteúdo da maleta durante uma reunião a sós entre os dois.

Publicidade

 

  

Kerry reiterou que o encontro com Pútin permite aos EUA entender melhor como o russo compreende os assuntos mundiais. Vladimir, por sua vez, reiterou que os contatos diretos entre as duas nações sempre “proporcionam uma oportunidade para avançar na resolução de assuntos importantes”. Já as pautas de temas muito mais específicos como as situações na Síria e Ucrânia, foram discutidas entre John Kerry e o seu colega, o homólogo russo, Sergei Lavrov. #Coalizão russa #Conflito na Síria