Depois de várias referências breves a Portugal, o #Estado Islâmico, por meio de um vídeo, fez uma ameaça direta a Portugal: “Hoje é Bruxelas e o seu aeroporto, amanhã poderá ser Portugal”. Tal como informa o site “Notícias ao Minuto”, essa ameaça já é a quarta em apenas um ano a Portugal, sendo que o país, apesar de pequeno, passa a ser um dos principais alvos do maior grupo terrorista do mundo. Tal como indica uma publicação oficial da revista dos jihadistas de agosto do ano passado, entre doze motivos, o passado muçulmano do país, bem como o seu posicionamento estratégico, fazem com que Portugal seja aliciante.

Apesar de todas as grandes capitias europeias, principalmente as que pertencem à União Europeia tem ordens para controlar as suas fronteiras, Portugal decidiu reforçar ainda mais as suas medidas de segurança, depois de um dos líderes do Estado Islâmico ter garantido que Portugal também é um alvo do grupo, mesmo que este não tenha participação direta nos bombardeios na Guerra na Síria.

Publicidade
Publicidade

Tal como o grupo terrorista tinha garantido, pouco dias após os atentados de Bruxelas, ao invés de ataques suicidas no coração da #Europa, o Estado Islâmico quer matar nas ruas da mesma forma como fez nos ataques de Paris, “com Kalashnikov nas ruas”, tal como informa o site “Notícias ao Minuto”. Quanto a Portugal, apesar da ameaça direta realizada ontem, dia 31 de março, a verdade é que o Governo do país não sentiu a necessidade de aumentar o seu grau de alerta terrorista, que continua no “moderado”.

Contudo, e tal como informa a imprensa internacional, o interesse por Portugal, mas também por Espanha, não é novo para o grupo terrorista. Intitulada como “Andalus”, a Península Ibérica sempre despertou muito interesse para os radicais, que até elaboraram uma lista de doze motivos de interesse para atacar os dois países.

Publicidade

Além da alegada presença de muitos jihadistas em Espanha, o regresso a um Portugal e a uma Espanha muçulmana estão nos desejos do grupo, que também admiti que tenciona começar por esses países na “conquista” de toda a Europa. #Terrorismo