Autoridades da Grécia têm vindo em público falar sobre a visita concreta do presidente russo, #Vladimir Putin, ao berço da democracia mundial, nas próximas semanas. Tanto é assim, que Olga Gerovasili, representante do Governo de Atenas, falou que, apesar da data exata ainda não estar determinada, a visita realmente acontecerá, pois, devido às situações políticas, econômicas e militares tensas nos Bálcãs, nada melhor do que manter relações com o intercâmbio de idéias com outras nações.               

Já Aristide Baltas, atual ministro de cultura grega, falou que o governo aguarda a visita de Putin para o mês de maio e destacou que o evento será notório para as relações dos 2 países, ligados pela mesma religião ortodoxa e raízes culturais, com a Grécia e a Rússia sendo alvos nos últimos tempos das provocações da Turquia. 

A visita é tão certa de acontecer, que autoridades de segurança do Governo de Moscou, junto com os seus colegas gregos, estão tomando medidas de segurança como nunca vistas no país para proteger e salvaguardar a vida dos visitantes russos.

Publicidade
Publicidade

Conforme informações oriundas da imprensa grega, serão disponibilizados aproximadamente 2.000 homens das forças de segurança e das forças armadas para essa missão.

Os serviços de Inteligência, Contra-inteligência e Segurança da Rússia estão se reunindo dia a dia para estudar e pesquisar a estrutura e região onde está o Lagonnisi Resort em Atenas, local em que ficarão alojados o presidente russo e sua comitiva. Putin será acompanhado por mais de 70 integrantes de sua guarda presidencial, o equivalente ao Serviço Secreto dos EUA.

Foram reservados 120 quartos para a delegação russa, que inclui empresários, jornalistas e políticos. Além da guarda pessoal de Putin, serão utilizados os serviços especiais da Marinha, basicamente devido ao extenso litoral assimétrico da Grécia, o que facilita a ação de grupos terroristas.

Publicidade

Caças de combate estarão sobrevoando constantemente a região enquanto o presidente estiver na cidade, tudo isso para evitar que uma outra aeronave renegada, por exemplo, cometa um voo com fins suicidas sobre os russos como uma forma de atentado.

Objetos voadores como drones que não são identificados, muitas vezes, nos radares, se constituem em um mais novo desafio para as forças de segurança. Todo esse cuidado não pode ser negligenciado, pois para quem não sabe, existe a chance, infelizmente, de elementos terroristas islâmicos terem se infiltrando entre a horda de imigrantes e refugiados que chegam aos milhares à região da Áttica na Grécia. Serão usados dispositivos eletrônicos que detectam qualquer coisa que se mova no entorno do Lagonissi Resort, até mesmo os temíveis drones.

Os gregos dizem que todo esse esforço vale a pena, já que independente das boas relações de amizades que gregos e russos desfrutam por muito tempo, o governo da Grécia espera poder discutir com a Rússia, o aprofundamento intenso da cooperação econômica, sobretudo no campo da energia. #Negócios #Europa