Foi confirmada pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin), na terça-feira (12), a veracidade de uma postagem de um terrorista enviada através de uma conta no Twitter em novembro do ano passado. “Brasil, vocês são nosso próximo alvo. Podemos atacar esse país de merda”, dizia o texto.

A dúvida sobre a veracidade da mensagem persistia até ser confirmada pela Abin. A conta que postou a mensagem é de Maxime Hauchard, um terrorista francês de 22 anos que já apareceu em diversos vídeos do Estado Islâmico decapitando sírios.

De acordo com a Abin, a mensagem do terrorista foi postada logo após a série de atentados que foram realizados na França que resultaram na morte de 129 pessoas e dezenas de pessoas feridas.

Publicidade
Publicidade

 A declaração da veracidade da mensagem terrorista foi anunciada por Luiz Alberto Sallaberry, que ocupa o cargo de diretor no departamento de Contraterrorismo da Abin.

A declaração foi feita na Feira Internacional de Segurança, que está sendo realizada no Rio de Janeiro.

“Monitoramos e percebemos que o perfil que postou a mensagem era realmente de Maxime, um dos líderes terroristas do Estado Islâmico. Também verificamos que a partir da publicação da mensagem houve uma maior intensidade nos discursos dos seguidores do Estado Islâmico no Brasil”, disse ele.

Segundo Sallaberry, terrorista francês é uma espécie de garoto propagando do Estado Islâmico

Numa palestra a especialistas de segurança, Luiz Alberto Sallaberry afirmou que Maxime Hauchard é uma espécie de garoto-propaganda do Estado Islâmico e está estrategicamente ocupando a segunda posição na linha de comando de decapitadores.

Publicidade

Segundo Sallaberry, o terrorista nasceu em um pequeno vilarejo no interior da França e se integrou aos terroristas quando tinha 18 anos.

Especialista afirma que o número de adeptos ao Estado Islâmico no Brasil é crescente

Sallaberry fez uma observação importante em sua palestra, ele afirmou que está crescendo o número de pessoas que dizem ter feito juramento ao califado do Estado Islâmico.

“A partir do momento em que uma pessoa faz um juramento ao califado, ela está disposta a fazer qualquer tipo de atentado violento para honrar o nome do grupo terrorista”, afirmou.

De acordo com Sallaberry, as ordens para a execução de atentados necessariamente não precisam ser feitas presencialmente e sim via internet por líderes do grupo.

A Abin está intensificando cursos em setores que possam ser alvos dos terroristas, os cursos são ministrados visando que as pessoas que trabalham nesse setor saibam identificar possíveis alvos terroristas. #Terrorismo #Ataque #Ataque Terrorista