As discussões sobre o #Impeachment de Dilma já começaram e novas polêmicas surgem para lustrar esse momento histórico na história do Brasil.

Após deputado denunciando a compra de artistas com dinheiro público e de petista acusando o movimento pró-impeachment de ter matado Tiradentes, a novidade vem de milhares de quilômetros de distância.

John Oliver, comediante e apresentador do ‘Last Week Tonight’ realizou várias criticas bem humoradas à política do Brasil durante seu programa. O apresentador alegou que 60% daqueles que buscam o impeachment de #Dilma Rousseff na Câmara respondem por processos que vão de ‘fraude eleitoral’ à ‘homicídio’.

Publicidade
Publicidade

O apresentador não parou por ai e criticou o Pixuleco, boneco inflável levado em manifestações pró-impeachment e que em nada se parece com o ex-presidente Lula, mas lembra um dos desenhos de ‘Picasso’ feitos pelo ator Mandy Patinkin, de Homeland.

Segundo o raciocínio do comediante, o Brasil conta com um Poder Legislativo com apenas 40% menos criminosos per capita do que sistema prisional.

Mesmo sem defender, John mostrou conhecimento superficial sobre as razões que levaram Dilma ao processo de impeachment, bem como as investigações de que Lula é alvo. Segundo ele, mesmo com Lula afirmando que as acusações que sofrem são de caráter político, Dilma não conseguiu mudar a situação ao nomeá-lo para a Casa Civil.

Durante suas falas, algumas pessoas riram e outras, ficaram em silêncio sem entender ao certo o que estava acontecendo.

Publicidade

John também fez piadas sobre a corrupção na Petrobras e falou dos protestos pró e contra o impeachment.

Além da repercussão política que gerou até comentários de programa de TV estrangeiro, o fato da ABIN – Agência Nacional de Inteligência, ter divulgado nessa quarta-feira, 14, que os terroristas do Estado Islâmico ameaçaram atacar o Brasil, fez com que o país se tornasse um dos assuntos mais comentados do mundo devido os temores de que terroristas ajam durante a execução dos jogos olímpicos, uma vez que dezenas de autoridades políticas de outros países estarão entre os estados do Rio de Janeiro e São Paulo. #Viral