A crescente ameaça terrorista promovida pelo #Estado Islâmico que pôs o mundo em estado de alerta sofreu um destrutivo ataque que rendeu a eles um prejuízo bilionário. A força aérea comandada por um oficial baseado em Bagdá realizou vários ataques seguidos a diversos prédios que funcionavam como verdadeiros cofres, guardando quantias massivas de dinheiro.

O ataque aos cofres terroristas

A fortuna pertencia ao temido Estado islâmico(EI) que teve que assistir impune ao ataque americano enquanto suas preciosas notas queimavam diante de seus olhos. Foram ceca de 20 bombardeios de acordo com o general Peter Gersten, reduzindo a pó o dinheiro que foi ganho com o sofrimento e a morte de inocentes, escravizando cidadãos, roubando territórios, promovendo o ódio e o extremismo religioso.

Publicidade
Publicidade

Em um caso segundo Gestern uma quantia estimada em US$ 150 milhões foi destruída em uma casa em Mosul, no Iraque. A inteligência americana indicou um quarto na casa que guardava todo este dinheiro e revelou o caminho para o ataque. A quantia destruída nos ataques foi estimada entre 500 e 800 milhões de dólares. O governo não esclareceu como foram feitas as estimativas.

Confira o ataque

Resultados positivos

Ainda de acordo com o general o impacto nas reservas monetárias da organização terrorista foi considerável, contribuindo para um aumento de incríveis 90% no número de pessoas que abandonaram o grupo. A aquisição de novos membros no também foi severamente danificada, caído de um pico de 1500 a 2000 pessoas por mês em 2015 em Bagdá e na Síria para apenas 200 por mês.

De acordo com o observatório Sírio para Direitos Humanos, grupo de monitoramento da guerra síria com base na Inglaterra, o EI disse em um comunicado a seus integrantes que cortaria pela metade o salário de seus combatentes devido a “circunstancias extremas”.

Publicidade

As notícias não agradaram nem um pouco os integrantes que agora tentam de toadas as formas abandonar esta causa perdida: "Estamos vendo uma quebra na moral do grupo, dificuldade de pagamento e de combate, estamos vendo militantes tentando deixar o Daesh (árabe para o EI) de toda maneira" afirma Peter Gersten. Desertores foram inclusive encontrados disfarçados de mulher numa tentativa de fuga. Alguns reportaram ainda que já tentavam escapar a muito tempo dos horrores que presenciavam enquanto participavam do grupo : "Ouvia gritos de dor de homens arrastados", diz ex-participante. #Terrorismo #EUA