Na última quarta-feira, 13, uma ameaça vinda do Estado Islâmico foi confirmada pela ABIN (Agência Brasileira de Inteligência). O problema é que tal ameaça não ocorreu recentemente, mas logo após os ataques de Paris, que por sua vez, foram consumados em novembro de 2015.

A denúncia

Durante as discussões do #Impeachment, iniciadas oficialmente nessa sexta-feira, 15, e prosseguindo durante todo o sábado, o deputado federal do PSC-RJ, Jair Bolsonaro, discursou na tribuna por quase doze minutos, ocasião em que revelou que o #PT está disposto à tudo para não deixar o poder e que não vão aceitar abrir mão do governo por causa de uma decisão democrática.

Publicidade
Publicidade

Segundo o deputado, a ABIN, que ao contrário de muitos países, atua diretamente com o governo e não com as Forças Armadas, teria inventado a ameaça islâmica há cinco dias da votação do impeachment para gerar pânico e poder realizar ataques terroristas após a aprovação do mesmo e assim poder se manter no poder, deixando que a culpa recaísse sobre o grupo terrorista intitulado '#Estado Islâmico'.

Argumentos petistas

Embora o grupo terrorista já tenha avisado mais de uma vez através de vídeos que vão (ou pelo menos desejam) transformar todos os países do mundo seguidores de apenas um califado até 2030, os próprios jihadistas já anunciaram que a conquista do ISIS começará pela Europa, em uma espécie de reconquista do território que um dia foi dos muçulmanos e hoje abriga importantes países como Itália, Portugal, Espanha e França.

Publicidade

Só após essa 'conquista' que o grupo almejaria a América.

Além disso, os jihadistas afirmam (e é verdade) que há combatentes do grupo espalhados pelo Ocidente, longe de qualquer suspeita. Inclusive, no início de 2014 a ABIN interceptou uma tentativa do grupo de recrutar alguns brasileiros pela internet, a principal ferramenta de propaganda dos radicais islâmicos. Da mesma forma, um documentário recente mostrou que brasileiros que vivem na Europa têm sido recrutados pelo grupo, recebendo até $10 mil euros por mês.

O fato das Olimpíadas estarem próximas de acontecer e de chefes de Estado inimigos do ISIS serem esperados entre Rio de Janeiro e São Paulo, tem gerado uma preocupação com a segurança do evento, de forma que cerca de trinta mil homens são treinados para atuarem e evitarem possível atentados.

Com essa possibilidade e o governo afirmando que está ocorrendo um golpe (chegando a montar um site em domínio público contra o impeachment), o PT conseguiria passar despercebido em uma possível armação para evitar a saída do governo.

Real ou não essa possibilidade, é importante refletir sobre os argumentos apresentados pelo deputado e as reais características desse grupo terrorista. Vale ressaltar que confirmando-se a armação petista, isso não impede que em um futuro não muito distante o Daesh decida mostrar sua crueldade por aqui. O vídeo completo com a acusação do parlamentar pode ser assistido logo abaixo.

Concorda ou discorda? Deixe a sua opinião com um comentário.