A Polícia espanhola garantiu que a viatura que transportava uma família de imigrantes portugueses bateu violentamente contra um dos separadores da auto-estrada em uma altura em que chovia violentamente. Tal como informa o “Correio da Manhã”, o motorista, um jovem imigrante português de 27 anos não resistiu aos ferimentos, tendo ficado completamente encarcerado, enquanto a sua mulher e o filho de apenas dois anos foram projetados e conseguiram sobreviver. O excesso de velocidade e a falta de cuidado perante as condições climáticas violentas que se verificavam seriam as causas mais evidentes da derrapagem violenta.

Tal como aconteceu recentemente com uma tragédia que matou doze imigrantes portugueses, a falta de cuidado perante os riscos externos ao veículo podem ter sido a causa principal de mais um acidente mortal que está abalando a comunidade imigrante portuguesa, que nas redes sociais garantem que é necessário fazer algo urgentemente para que os portugueses que tencionam regressar a Portugal consigam fazê-lo com o máximo de segurança possível, não correndo qualquer tipo de risco de vida.

Publicidade
Publicidade

Segundo informa o jornal “Correio da Manhã”, as autoridades espanholas rapidamente determinaram a causa da tragédia como tendo sido uma derrapagem causada pelas condições climáticas agressivas e, por consequente, alguma imprudência por parte do motorista que não teria adaptado a velocidade às condições difíceis no momento do acidente. Com um choque violento nos separadores, que provocou a sua morte quase imediata e a projeção da mulher de 29 anos e do seu filho de 2 anos, é muito provável que o português viajava em excesso de velocidade, sobretudo dada a chuva torrencial que se verificava.

Em uma altura em que o bebê está lutando pela sua vida, estando nesse momento em coma induzido, a mãe, que teve apenas alguns ferimentos, pode agora contar todos os pormenores da tragédia que matou o seu marido e se as causas agora apontadas pelas autoridades espanholas são de fato, precisas.

Publicidade

A família da vítima já respondeu à imprensa internacional e garante estar desolada pela morte do jovem português, que se encontrava a cerca de 100 km da fronteira portuguesa. #Europa #Emigração