Muitos que vivem no Brasil traçam diferentes comparações do mesmo com outras nações. Por exemplo, o Instituto Legatum, do Reino Unido, que pesquisa o conceito de prosperidade pelo ângulo econômico e avalia o bem-estar de uma região, divulgou recentemente que a Noruega foi considerada pelo 7º ano seguido, como sendo o país que apresenta a maior prosperidade do planeta. 

Todo esse trabalho de averiguações intercontinentais de espaços diferentes, ocupados por povos diferentes, foi veiculado pelo Legatum no chamado Índice da Prosperidade, o qual é editado ano a ano. 

O desempenho de 142 nações em 8 categorias distintas obedece os seguintes critérios: 

Economia

São considerados fatores, tais como o tamanho do mercado de trabalho atrelado aos índices de desemprego, a inflação apresentada no momento da medição da pesquisa bem como o quadro da economia da nação. 

Empreendedorismo e oportunidades

Aqui não pode ficar de fora o cálculo dos custos e esforços para se abrir uma empresa, gastos com pesquisa e desenvolvimento, e se o cenário da economia é propício aos empreendedores de várias áreas. 

Governo

São estudados tópicos importantes como o equilíbrio político do #Governo e a sua real efetividade diante dos quadros de corrupção ou mesmo como é a distinção entre os poderes da nação e do denominado estado de direito, caracterizando maturidade política ou não, dos dirigentes de um país. 

Educação

O foco é nos conceitos como qualidade educacional nas escolas médias até os centros de ensino universitários.

Publicidade
Publicidade

Detalhes de como é a relação professor-aluno são alvos desse mesmo quesito. 

Saúde

Os investimentos e despesas do governo no campo da saúde, taxas de mortalidade infantil, a quantidade de leitos hospitalares disponíveis e a qualidade da água consumida são alguns dos indicadores que compõem a categoria em questão.

Segurança

O foco mira a quantidade de refugiados e também dos deslocamentos populacionais internos, muitas vezes, forçados por vários fatores. Dados referentes à violência política nas cidades não são deixados de fora quando o assunto é segurança.

Liberdades individuais

Verifica-se qual a tolerância da população local frente aos imigrantes e minorias que chegam ou já existem no país, e se essa nação oferece a liberdade de direitos civis.

Capital social

É fato se admitir que a cidadania de um povo ou governo estabelecido estão diretamente relacionados às percentagens de indivíduos que praticam o trabalho social, que doam para as entidades, que fazem ações de caridade ou até as taxas relativas ao casamento e grau de religiosidade das pessoas daquele estado. 

Somente com a análise dessas 8 categorias classificatórias é que o índice ordenou as nações em outro índice geral, criando um sistema de pontuação específico no que tange a performance da nação. 

Um exemplo claro disso é o Canadá, que, apesar de ocupar a 6ª posição no ranking geral, é considerado o país mais livre do mundo.

Publicidade

Da Ásia, Singapura é a 17ª na economia e o Brasil, que foi o alvo de comparações no 1º parágrafo do texto, tem melhor resultado na categoria de liberdades individuais. 

A título de curiosidade, da 1ª a 25ª posição, os países que foram considerados os mais prósperos de todo mundo são: Noruega, Suíça, Dinamarca, Nova Zelândia, Suécia, Canadá, Austrália, Holanda, Finlândia, Irlanda, Estados Unidos, Islândia, Luxemburgo, Alemanha, Reino Unido, Áustria, Singapura, Bélgica, Japão, Hong Kong, Taiwan, França, Malta, Espanha e Eslovênia. #Educação #Finança