Uma imigrante portuguesa, que trabalhava na Alemanha há mais de cinco anos, foi encontrada completamente desmembrada, com várias partes do seu corpo lançados a um rio. Conforme publicou  o “Jornal de Notícias”, as autoridades francesas não têm qualquer tipo de dúvida que se trata de um homicídio com contornos extremamente violentos, sendo que foram precisos vários dias de buscas intensivas para se conseguir reunir todas as partes do corpo da vítima.

“Pessoa alegre e sociável”, era assim que as pessoas descreviam a imigrante portuguesa de 43 que, misteriosamente, apareceu sem vida e completamente desmembrada em um rio na Alemanha.

Publicidade
Publicidade

Ainda mais misterioso parece ser que nenhum membro da família da vítima, incluindo o seu marido, notaram o desaparecimento da Maria D., como foi identificada, revelando que era normal a portuguesa se ausentar por alguns dias sem dar explicações.

Foi graças a um habitante alemão que, sobre uma ponta do rio em questão, avistou o tronco da vítima, na quinta-feira passada. Rapidamente se iniciaram as buscas um pouco por todo o rio, tendo a autópsia conseguido identificar a vítima depois de terem encontrado os restos do corpo da Maria D. Tal como informa o “Jornal de Notícias”, não há por enquanto nenhum suspeito do #Crime, apesar do marido da vítima já ter sido interrogado pelas autoridades, que querem entender como era a vida da portuguesa, que acabou por levar a um homicídio tão horrendo.

Para tentar obter o máximo de informações possíveis sobre esse crime, que está abalando a comunidade imigrante portuguesa e os alemães, as autoridades já lançaram publicamente uma fotografia da vítima, tentando obter o máximo depoimentos possíveis, naquele que parece ser um crime muito complicado de se resolver dadas às circunstâncias macabras.

Publicidade

Nas redes sociais, o marido da portuguesa questionou, completamente desesperado, quem poderia ter feito algo tão cruel e chocante à Maria. Apesar de viver na Alemanha há cinco anos, grande parte da família da vitima, incluindo os pais, vivem atualmente em Lisboa. #Investigação Criminal #Emigração