Segundo Maggie De Block, ministra da saúde da Bélgica, as pílulas de iodo estarão disponíveis para todos os 11 milhões de habitantes do país.

A distribuição das pílulas é parte de uma revisão do Plano de Emergência Nuclear, uma medida revelada alguns meses depois da descoberta de que pessoas ligadas à ISIS espionaram um importante cientista na Bélgica na esperança de construírem uma bomba suja - arma radiológica feita com a combinação de material radioativo e explosivos convencionais, com o objetivo de contaminar a área ao redor da explosão com material radioativo.

Segundo a ministra, o Plano de Emergência Nuclear começou em 2011, quando aconteceu o acidente nuclear em Fukushima, no Japão, causando um desastre nuclear.

Publicidade
Publicidade

A medida foi tomada após a descoberta de que um pesquisador sênior de um importante centro que produz uma quantia significativa de radioisótopos para fornecimento mundial tem sido espionado por uma célula terrorista.

Um vídeo secreto do cientista foi encontrado em novembro de 2015, durante uma batida na casa de Mohamed Bakkali, acusado de envolvimento nos ataques em Paris que mataram 130 pessoas e feriram centenas. Em março, descobriram que o vídeo foi gravado pelos irmãos Khalid e Ibrahim El Bakraoui, que estavam entre os responsáveis pelos ataques em Bruxelas.

PÍLULAS DE IODO

A ideia original da Bélgica era de distribuir as pílulas para pessoas que moram próximas às usinas nucleares de Tihange e Foel, mas agora a distribuição será ampliada para todo o país. Segundo a ministra, uma dose de iodo ajuda a limitar os efeitos da radiação no corpo.

Publicidade

Apesar de outros países terem tomado atitudes semelhantes, especialistas dividem opiniões em relação à eficácia das pílulas porque a substância nas pílulas, iodeto de potássio, não pode proteger o corpo dos elementos radioativos e pode causar efeitos colaterais como reações alérgicas, inflamação das glândulas salivares, desconforto gastrointestinal e erupções cutâneas, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos.

Alguns países, como a Suécia e a França, pré-distribuem pílulas de iodo enquanto países como a Alemanha, estocaram-nas em certos locais para serem distribuídos em casos de emergência. #Europa #Ataque #Ataque Terrorista