O pequeno Leonardo, de apenas dois anos de idade, morreu com um traumatismo craniano, depois do Hospital de Toulouse ter concluído que a criança apresentava um grande hematoma na sua cabeça. Tal como publicou o site “Notícias ao Minuto”, foi a própria responsável pelo bebê, uma portuguesa de 24 anos, juntamente com o seu companheiro, também português, que tentaram reanimar o bebê antes das autoridades francesas chegarem. Contudo, e depois ter dado entrada no hospital do local em estado crítico, o pequeno Leonardo não conseguiu resistir aos graves ferimentos que a Polícia acredita terem sido feitos pela portuguesa.

Em uma altura em que a comunidade imigrante portuguesa ainda chora um acidente na França, na região de Lyon, que matou doze imigrantes em um choque frontal contra um caminhão, um novo crime promete abalar ainda mais uma das maiores comunidades imigrantes da França, tal como é a comunidade brasileira.

Publicidade
Publicidade

Tudo teri acontecido no último sábado, dia 2 de abril, quando um bebê português de dois anos morreu no hospital devido a um traumatismo craniano motivado por um enorme hematoma que tinha na cabeça. Apesar do vizinho ter garantido que o bebê tinha graves problemas nos seus pulmões, a verdade é que as autoridades francesas já garantiram que essa não foi a causa da morte do menino,  como informou o site “Notícias ao Minuto”. Rapidamente o hospital alertou as autoridades para os maus-tratos sofridos pelo bebê, tendo o casal de imigrantes sido rapidamente detido por terem espancado até à morte a criança da qual eram responsáveis.

Enquanto o português acabou sendo libertado pouco tempo mais tarde após a detenção, a verdade é que a jovem portuguesa está atualmente em prisão preventiva, depois de vários interrogatórios, sendo que o Ministério Público acusa a portuguesa de homicídio voluntário, o que pode condenar a jovem por muitos anos caso as suspeitas das autoridades francesas se confirmem em julgamento.

Publicidade

A polícia, além de querer entender porque o menino foi espancado e agredido na cabeça, também quer entender porque o menino estava em Toulouse quando os seus pais estão vivendo em Portugal. #Europa #Investigação Criminal #Emigração