Uma forte explosão no norte de França, a cerca de 80 km de Paris, provocou uma série de vítimas, muitas ainda soterradas ou desaparecidas. Tal como informa o jornal “Correio da Manhã”, a explosão teria sido em um edifício e causada por uma fuga de gás, muito semelhante ao que aconteceu há poucas semanas também em uma habitação residencial no centro de Paris. Os bombeiros e as autoridades francesas tentam agora contabilizar o número de vítimas mortais e tentar salvar o máximo de pessoas possível.

Depois das ameaças constantes do Estado Islâmico, agora tem sido as fugas de gás, que ainda não foram explicadas, que estão lançando o pânico entre os franceses, mas também as comunidades imigrantes, incluindo a brasileira e a portuguesa, que nas redes sociais têm demonstrado muito medo do que está acontecendo no território francês nos últimos meses.

Publicidade
Publicidade

Segundo informa o jornal “Correio da Manhã”, as autoridades já tinham confirmado algumas vítimas mortais, mas passado pouco tempo vieram desmentir essa informação. O que é certo é que pelo menos duas pessoas, que ainda estão vivas, estão completamente soterradas por debaixo dos escombros do edifício, sendo que tudo está sendo feito para que sejam rapidamente retiradas e salvas. Também o que já parece ser seguro e já foi informado pela imprensa internacional é que quatro vítimas já foram recolhidas, sendo que pelo menos uma delas está gravemente ferida e correrá perigo de vida.

Nas redes sociais, os imigrantes portugueses, principalmente os que vivem nos arredores da cidade que está vivendo momentos de pânico, falaram um pouco do terror que estão sentindo, garantindo que a cada incidente mortal que a França tem sentido nos últimos meses, mais vontade os portugueses têm de voltarem para o seu país, visto que para eles a segurança parece ser cada vez mais escassa nas principais cidades do país.

Publicidade

Com ajuda aérea e de um número muito elevado de bombeiros e autoridades policiais, está se tentando ao máximo avaliar as perdas humanas causadas por essa tragédia que já levantam muitas questões quanto à sua causa. #Europa #Emigração