O #Estado Islâmico tem preparado uma série de ataques à praias europeias, sobretudo italianas, espanholas e francesas. Tal como informa o jornal “Económico”, várias organizações ligadas ao maior grupo terrorista do mundo garantem que os extremistas pretendem colocar bombas nas areias, bem como se disfarçarem de refugiados, que vendem gelados, para tentar matar o maior número de pessoas possíveis. Sabendo que o verão europeu está se aproximando, o Estado Islâmico prepara assim ataques muito diferentes dos que realizou nos últimos meses no coração da #Europa.

Depois de Bruxelas ter garantido que existe um número indeterminado de terroristas do Estado Islâmico na Europa, agora foi tornado público que o grupo quer atacar nas praias recheadas de turistas, um pouco à imagem do que aconteceu no aeroporto de Bruxelas há cerca de um mês.

Publicidade
Publicidade

Terroristas suicidas, disfarçados de vendedores de gelados, e bombas nas areias serão as duas formas do grupo para causar o maior impacto possível.

Tal como informa o jornal “Económico”, foram os serviços italianos que receberam essa mesma informação que promete encher as praias mais requisitadas na Europa com uma enorme carga policial, tentando ao máximo controlar as movimentações de células terroristas que estão nesse momento planejando a melhor forma de causar o caos no verão europeu, que recebe milhares de turistas brasileiros todos os anos.

Na verdade, o Estado Islâmico já prometeu que os ataques realizados em Bruxelas e Paris são apenas o início de vários atentados que o grupo terrorista tenciona realizar nos próximos anos, com objetivo de se vingar da coligação internacional que participa ativamente na Guerra na Síria.

Publicidade

Foi precisamente no ano passado, no mês de julho, que na Tunísia um terrorista matou 38 turistas em uma das praias mais visitadas do país africano, sendo que a maioria das vítimas foram turistas que estavam aproveitando ao máximo o verão quente do norte de África. Desde essa tragédia, os níveis de segurança da Tunísia são extremas e o número de turistas no país desceu drasticamente. #Terrorismo