Demorou 27 anos mas, finalmente, a #Justiça inglesa está encerrando um dos casos mais graves de sua história. Foi em 1989 que 96 torcedores de #Futebol morreram esmagados em um estádio. As famílias reclamaram por justiça durante todo esse tempo e, nesta semana, seus pedidos foram escutados. Afinal, a culpa não foi das vítimas, mas sim de várias falhas na segurança. O chefe de polícia destacado teria sido o principal culpado, ao dar uma ordem errada, que poderia ter levado a morte os 96 torcedores do Liverpool. 

'Justiça pelos 96' foi um movimento criado e que pedia que as mortes desses torcedores não fossem esquecidas. Mas durante muitos anos, o comandante policial David Duckenfield garantiu que as vítimas esbarraram e ficaram esmagadas contra uma porta fechada em um confrontos entre eles.

Publicidade
Publicidade

Durante um longo inquérito, se provou que foi tudo uma grande mentira para salvar sua pele. 

Na verdade, David Duckenfield teria dado a ordem para que as portas de fora fossem abertas, antes que o portão de dentro do estádio fosse aberto, para o local onde os torcedores do Liverpool foram colocados. Foram mandadas entrar muitas pessoas para tão pouco espaço, em um erro de cálculo da segurança. O erro policial teria sido a grande falha que motivou que os torcedores acabassem morrendo pisoteados, ainda antes que a partida entre o Liverpool e o Nothingham Forrest se iniciasse. Com a confusão instalada entre os vários grupos de torcedores, a resposta da polícia foi lenta.  mais devagar ainda foi a demora da emergência. As ambulâncias teriam demorado muito, e várias vítimas morreram por conta disso.

Publicidade

Tudo junto, gerou em uma das maiores tragédias da história do futebol europeu, que ficou conhecida como a 'tragédia de Hillsborough', o nome do estádio de Sheffield, na Inglaterra. E foram de David Duckenfield as decisões tomadas nessa tarde de 15 de abril de 1989. A superlotação do estádio sempre foi apontada como a principal causa por toda essa tragédia.

De acordo com o veredito final, David Duckenfield e mais alguns policiais serão incriminados, tal como o estádio, o futebol inglês e o serviço de ambulâncias. As penas deverão ser conhecidas até o final desse ano. 

Mas, no dia em que foi lida a sentença, que tirou a culpa das 96 vítimas e encontrou os verdadeiros culpados, o ex-comandante da polícia, David Duckenfield, não esteve presente. Atualmente, o homem está retirado de funções, mas durante anos disse mentiras para culpar os torcedores. No tribunal, acabou confessando tudo, até que pediu cães de polícia em vez de ambulâncias, enquanto os torcedores morriam pisoteados. 

Temendo represálias, o policial não esperou para ouvir o veredito final e, de acordo com o jornal Daily Mail, o homem poderia estar, de férias, em Portugal.  #Europa