Nyomi Fee, de 28 anos, e sua amante, Rachel Trelfa, de 31, estão sendo acusadas pelo tribunal inglês pelos crimes de crueldade contra crianças. Em causa, teriam assassinado o pequeno Liam, filho de Nyomi, de dois anos, e de terem maltratado a outras duas crianças durante mais de dois anos. Elas teriam forçado as crianças a comer fezes de cachorro. Após a morte de Liam, teriam tentado incriminar um menino de sete anos. No entanto, seus crimes foram descobertos e o caso será julgado, apesar das duas mulheres negarem todas as acusações. 

Aconteceu em Fife, na Inglaterra, e o caso está deixando a comunidade local em choque. A #Justiça inglesa não está adiantando ainda muito sobre esse caso, mas os pormenores revelados são horrorosos, tamanhos os maus tratos infligidos contra as crianças. Além da morte de Liam, Rachel e Nyomi são acusadas pelos crimes de agressão, crueldade e negligência contra mais duas crianças que as elas tinham sob seus cuidados. 

No primeiro dia de julgamento, que decorreu nessa segunda-feira (11), foram revelados alguns dos maus tratos mais chocantes que o juiz escutou em sua carreira.

Publicidade
Publicidade

As mulheres teriam obrigado um dos meninos a "comer seus próprios excrementos e excrementos de cão", de acordo com o jornal Mirror. Logo após o pequeno Liam morrer, teriam colocado sabão na boca do menino e forçado a outra criança a colocar sua mão na boca de Liam, tentando culpar a criança pela morte do menino.

Ao outro menino teriam o ameaçado de "cortar seu pênis fora com uma serra" e teriam "esfregado seu rosto na cueca suja". Banhos de água gelada, cortes no pênis de um dos meninos, falta de alimentos e amarrar os meninos, sem roupa, em um quarto junto com ratos e cobras de castigo são alguns dos relatos que chocaram nesse primeiro dia de sessão no tribunal. 

Essas agressões teriam durado mais de dois anos. Contra Liam, que morreu em 22 de março de 2014, elas teriam agredido violentamente entre os dias 15 a 22 desse mês, provocando vários traumatismos na cabeça e no corpo do menino de dois anos. Após a criança morrer, elas teriam contado para os serviços sociais e para a polícia que teria sido um outro menino, de sete anos, a causar a morte de Liam.  #Europa #Casos de polícia