Kathryn Smith, de 23 anos, foi condenada por matar a filha,  Ayeeshia Jane, de apenas 21 meses. O namorado dela, Matthew Rigby, de 22 anos, também deverá passar um bom tempo na cadeia, após ser acusado pelo tribunal inglês de ser cúmplice na morte da enteada. A menina teria morrido após sofrer várias agressões da mãe e foi também provado que não estava sendo bem alimentada fazia já algum tempo. Com o decorrer do julgamento, estão se conhecendo outros pormenores desse caso trágico. Uma alegada amiga da família contou agora que a mãe da criança a teria tentado vender para comprar droga. 

A testemunha seria vizinha dessa família e reportou o caso, dizendo que Kathryn não gostava de Ayeeshia e a tratava como se ela fosse um "estorvo" na sua vida.

Publicidade
Publicidade

De tal forma que uma vez lhe falou que estaria disposta a vender a menina por alguma quantia para "comprar droga". De acordo com esta alegada amiga da família, Kathryn estaria "drogada" várias vezes perto da menina, negligenciando seus cuidados. Mesmo quando a criança chorava de noite, e ela nem ligava. 

Pai da menina culpa serviços sociais

Para Ricky Booth, o pai da menina, os serviços sociais ingleses também erraram nesse caso e são grandes culpados na morte da sua filha. "Quando eles devolveram a menina para ela, assinaram sua sentença de morte", revelou Ricky em declarações para o jornal The Sun. 

Alegadamente, os serviços sociais ingleses estariam acompanhando Ayeeshia Jane desde seu nascimento por causa dos vícios da mãe, que se drogava e tinha um passado de violência conjugal. A menina esteve mesmo com pais adotivos por quatro meses, mas os diretores dos serviços sociais de Derbyshire decidiam devolver a criança para a mãe, que levou o desempregado Matthew Rigby para viver com ela, no dia em que se conheceram. 

Para o ex-companheiro, nada disso fazia sentido e lamenta que os serviços sociais não tenham dado para ele a oportunidade de criar a filha.

Publicidade

"Ela teria sido alimentada, vestida, amada - e ainda viveria", contou o pai da menina, desolado. 

O homem teria deixado Kathryn por causa das drogas, e conta que alertou duas vezes os serviços sociais, por causa dos maus-tratos que Ayeeshia estaria sofrendo. E teria fotografado a menina, para provar que ela estava sofrendo agressões, mas teria sido ignorado. 

A criança acabou por morrer e para lá de estar mal alimentada, a autópsia revelou que a menina tinha vários traumas, como se tivesse sido "vítima de um acidente de carro", tamanhas as agressões.  #Justiça #Europa #Casos de polícia