A Mossack Fonseca, empresa que tem como missão oferecer um apoio jurídico de altíssima qualidade para que seus clientes possam conseguir grandes fortunas, tem sede no Panamá, e opera em diversos lugares do mundo, dentre eles, Suíça, Luxemburgo e Holanda. O nome é resultado da junção de Jurgem Mossack e Ramón Fonseca, que fundaram a empresa no final da década de 70 e alavancaram seu crescimento. 

Na noite deste domingo (3), um dos assuntos que tomou conta no Twitter foi, justamente, o "#panamapapers", em razão do vazamento de muitos documentos, pertencentes a Mossack Fonseca, que trazem detalhes de como a empresa agiu para  que seus clientes conseguissem enormes fortunas, não pagando impostos e, em alguns casos, recorrendo à lavagem de dinheiro.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, a empresa alega que está há décadas trabalhando com honestidade e nunca sofreu qualquer tipo de acusação, mas os documentos vazados apontam mais de 70 chefes de Estado que roubaram dinheiro de seus próprios países, para conseguirem ser os homens mais ricos do mundo.

Nomes conhecidos em todo o mundo estão envolvidos neste escândalo, dentre eles, Vladimir Putin, Bashar al-Assad, Muammar Gaddafi.

Süddeutsche Zeitung, um jornal alemão, foi quem conseguiu tais documentos e logo compartilhou todo o material com o "Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos", sendo que a BBC Panorama faz parte deste consórcio e já está analisando tudo, porém, garante que a fonte não tem como ser identificada.

Estes documentos contam sobre os negócios realizados pela Mossack Fonseca, nos últimos 40 anos, e o fato já vem sendo considerado como o maior escândalo de todos os tempos envolvendo offshore, que são empresas abertas fora do país onde a pessoa reside, principalmente, nas nações que oferecem ótimas condições fiscais.

Publicidade

Aqui no Brasil, o escândalo interessa de forma especial porque os documentos apontam que existem 107 empresas offshore que pertencem a pessoas que estão sendo investigadas pela "Operação Lava Jato".

Se o país já esperava uma semana agitada, agora pode ter certeza que será ainda mais com este novo escândalo vindo a público. #Lava Jato #Corrupção #Crise no Brasil