O jovem imigrante português, que viajava da França para Portugal com a sua família, não resistiu aos ferimentos provocados pela derrapagem do seu veículo e morreu poucos minutos após a tragédia. Tal como informa o canal “TVI24”, as autoridades espanholas concluíram que, ao contrário do que aconteceu com a única vítima mortal, os outros dois passageiros, uma mulher de 29 anos e o filho do casal português de 2 anos, conseguiram sobreviver ao impacto porque conseguiram ser projetados para fora da viatura.

Em uma altura em que a comunidade imigrante portuguesa está debatendo com cada vez mais intensidade e revolta a falta de condições em que muitos portugueses se sujeitam viajar para poder voltar a Portugal, uma família, no final de semana passado, foi destruída devido a uma enorme tragédia nas auto-estradas espanholas, em um local a cerca de 100kms da fronteira de Portugal.

Publicidade
Publicidade

Tal como informa o canal “TVI24”, as autoridades acreditam que a causa do acidente teria sido uma derrapagem, muito provavelmente causada pela chuva intensa que se verificava naquela altura, e que, por imprudência do jovem imigrante português, o excesso de velocidade pode ter provocado o descontrole completo do veículo, que acabou batendo com muita violência nos separadores. Contudo, enquanto o português, que trabalhava na zona de Bordéus há 9 anos, teve uma morte quase instantânea, os dois outros membros da sua família conseguiram sobreviver com alguns ferimentos ligeiros, tendo sido projetados para fora da viatura no momento do acidente, algo que não aconteceu com o motorista, que acabou por fazer com que morresse completamente preso.

Tal como aconteceu com a tragédia recente que matou doze imigrantes portugueses, as autoridades europeias vão investigar com exatidão se o motorista cometeu algum tipo de irregularidade e em que níveis de segurança a família portuguesa estava sendo transportada, em uma viagem de milhares de quilômetros.

Publicidade

Por enquanto, a imigrante portuguesa de 29 anos  já pode prestar esclarecimentos às autoridades locais, visto já estar fisicamente recuperada do acidente, enquanto o seu bebê de 2 anos, que está em coma induzido, tenta se recuperar 100% do choque violento. #Europa #Investigação Criminal #Emigração