Na Finlândia, toda futura mãe, independente de sua origem, ganha do governo uma 'caixa de papelão contendo presentes para seu bebê. A tradição vem desde a década de 30 e para a Finlândia é de extrema importância, pois o país apresenta uma das taxas de mortalidade infantil mais baixas do mundo. 

Nessas caixas, as mães encontram produtos que vão ser de muita utilidade para os primeiros dias do recém-nascido. São produtos como roupas (incluindo o pijaminha para proteger o bebê dos rigores do inverno finlandês), gorro, sapatinhos, babador e fraldas (todos os itens têm as cores neutras), além de toalhas, produtos para o banho da criança e também um álbum de fotos.

Publicidade
Publicidade

Além de todos esses itens, a caixa ainda serve como "primeiro berço", já que acompanha um pequeno colchão.

Uma reportagem que a BBC fez sobre essas caixas de papelão foi lida por milhares de pessoas em todo mundo e viralizou nas redes sociais. Muitos países como México, Ásia, África do Sul, Reino Unido, EUA e Canadá estão propagando a ideia finlandesa. Atualmente, existe uma empresa que distribui essas caixas no Reino Unido e duas americanas fazem o mesmo, mas a ideia da distribuição foi criada em 2014, por três pais finlandeses.

O governo mexicano rendeu-se ao projeto "Cunas CDMX", que significa "berço" em espanhol, tendo sido inspirado no projeto finlandês. O objetivo do governo era alcançar 10 mil mães fazendo o acompanhamento da gestação das que tinham condições financeiros inferiores, para criar seus filhos.

Publicidade

"Tentamos proteger nossos bebês mexicanos, principalmente os que vivem em condições de extrema pobreza". Afirmou o encarregado do projeto e diretor-geral dos Sistemas para Desenvolvimento Integral da #Família, Gamaliel Martinez Pachecho. Por ser uma ideia bastante simples e de grande eficácia, muitos profissionais da saúde, além de empreendedores sociais, também desejam desenvolver o projeto.

Os empreendedores sul-africanos, Ernst Hertzog e Frans de Villiers, concluíram que seria mais útil para seu país fazer uma caixa de plástico que pudesse ser usada como banheira e não só colchão. No entanto, o objetivo principal do projeto, tanto na Finlândia quanto nos outros países que aderiram, é dar incentivo às mães para não faltarem às consultas pré-natal. #Maternidade