Depois de uma semana de investigações intensas, as autoridades francesas concluíram que o jovem motorista português viajava acima do limite de velocidade no momento do acidente frontal contra o caminhão. Como publicou o  “Correio da Manhã”, o jovem, além de dirigir 5km/h acima do limite da localidade, que se encontra nos 90 km/h, fez manobras perigosas, sobretudo tendo em conta que transportava pessoas sem o mínimo de segurança dentro da viatura. Além da prisão de até sete anos, o jovem terá que pagar várias multas, incluindo de ultrapassagem perigosa, excesso de velocidade e até uma possível multa de 100 mil euros caso se confirme o crime de homicídio involuntário.

Publicidade
Publicidade

O acidente que matou doze imigrantes portugueses e que abalou por completo a comunidade imigrante em Portugal tem ganhado cada vez mais contornos graves. Após se ter concluído que a viatura não podia transportar um número tão elevado de passageiros e o motorista não tinha a idade suficiente para dirigir a viatura, as autoridades divulgaram agora as infrações graves que ajudam a explicar a tragédia.

Segundo informa o jornal “Correio da Manhã”, as autoridades francesas acreditam que o jovem estava viajando a pelo menos 95km/h e que, só por essa infração, vai ter que pagar 750 euros. Além disso, a ultrapassagem, que acabou por chocar o veículo que ele dirigia de frente com um caminhão, matando de imediato os doze passageiros, foi considerada perigosa e que também por isso o jovem vai ser multado, possivelmente como as outras duas viaturas da empresa ilegal de transportes que tiveram igualmente manobras assassinas.

Publicidade

Assim, e em uma altura em que o jovem imigrante está detido e aguarda até amanhã, dia 4 de abril, para saber se vai esperar pelo seu julgamento em prisão preventiva ou então em liberdade, as provas e os testemunhos de que o jovem foi altamente negligente e que colocou deliberadamente a vida de doze pessoas em risco eminente são cada vez mais claras e condenatórias. Por isso mesmo, o Ministério Público francês aguarda apenas para a conclusão da investigação das autoridades para avançar com uma acusação de doze homicídios involuntários contra o jovem motorista, mas também contra o seu tio, o dono das três viaturas que transportavam pessoas ilegalmente. #Europa #Investigação Criminal #Emigração