Um gerente bancário português vai ser condenado pelo Tribunal de Viseu depois de ter conseguido desviar e enganar vários imigrantes portugueses, aproveitando para transferir cerca de dois milhões de reais das contas dos seus clientes para as suas. Tal como informa o jornal “Correio da Manhã”, devido à sua posição superior no balcão do BPI, o português conseguia fazer esses desvios porque os imigrantes estavam trabalhando no estrangeiro por um longo período de tempo, sendo mais difícil controlar as suas contas.

Depois da falência do BES ter lesado milhares de imigrantes portugueses no final de 2014, colocando muitos portugueses na miséria e sem quaisquer poupanças, agora um gerente bancário do BPI também resolveu aproveitar a sua posição no banco para conseguir desviar vários milhões, com o objetivo principal de conseguir controlar os seus problemas financeiros, que incluam alguns negócios.

Publicidade
Publicidade

Tal como informa o jornal “Correio da Manhã”, o esquema do bancário para conseguir desviar o dinheiro de vários imigrantes portugueses durou cerca de dez meses, até as autoridades conseguirem se aperceber do que se estava passando. Segundo o gerente, ele tinha a intenção de conseguir devolver todo o dinheiro que roubava, mas que rapidamente as suas contas e dívidas se descontrolaram e não conseguiu devolver todo o dinheiro que roubou ao banco português, apesar de ter dado tudo o que podia.

Mesmo com várias posses no valor de milhares de euros, a verdade é que a crise financeira não permitiu que o gerente bancário conseguisse fazer as tais vendas que tanto precisava. Começa assim o julgamento do alegado burlão no Tribunal de Viseu que preferia a conta dos imigrantes portugueses mais velhos do BPI, principalmente aqueles que tinham mais confiança nos serviços do banco português, para conseguir assim fazer os desvios que pretendia, tendo sempre acesso aos documentos necessários para conseguir fazer as transferências, que não se sabe ao certo quantas foram, mas estarão próximas das centenas.

Publicidade

#Justiça #Investigação Criminal #Emigração