Alguns acreditam ser uma farsa, porém outros levam bastante a sério a ameaça feita por integrante do #Estado Islâmico em sua conta do twitter aonde é possível observar ameaças ao Brasil. Recentemente, a ABIN (Agência Brasileira de Inteligência) confirmou a veracidade das informações, mesmo a postagem tendo sido feita há um bom tempo.

De acordo com o cientista político da ESPM Henri Cukier, o Brasil está com certeza na mira do Estado Islâmico. Segundo ele, um evento de proporções mundiais é um palco perfeito para ataques, já que estarão presentes delegações de vários lugares do mundo, inclusive de inimigos declarados dos extremistas. Ele ainda avalia os possíveis alvos de um ataque, entre eles o Cristo Redentor, pelo fator simbólico, e estádios de futebol, pela quantidade de possíveis vítimas.

Publicidade
Publicidade

O problema da crise x segurança

A segurança do evento acabou ficando comprometida pelo atual momento de crise econômica e política do país, a qual desviou a atenção do evento em solo nacional. Um exemplo disso foi o atual corte de gastos feito pelo Estado do Rio de Janeiro de R$500 milhões na segurança do evento, este que está para acontecer ainda esse ano.

O #Terrorismo tem mudado muito desde o último evento internacional sediado no Brasil (Copa do Mundo), e diferente de outras organizações terroristas, o Estado Islâmico não tem apenas um inimigo declarado, e sim vários, já tendo efetuado ataques em várias partes do mundo. Segundo o especialista da ESPM, isso só reforça a ideia de que os extremistas podem estar com grande interesse no Brasil.

Levando todos esses fatores em consideração, a ameaça terrorista e a atual situação do país, vale refletir se realmente o Brasil está em condições, e se pode arcar com a responsabilidade de milhões de vidas, não só de origem nacional mas de outros países também.

Publicidade

"O Brasil já tem falhas de segurança muito graves, e a ameaça terrorista é muito mais sofisticada do que o crime organizado. O combate ao terrorismo envolve múltiplas agências de segurança, trocas de informações, monitoramento constante de grupos. Não conseguimos lidar sequer com problemas mais simples, como vamos lidar com esse tipo de ameaça?" afirma Henri Cukier.

O especialista termina enumerando algumas medidas para garantir a integridade do evento, tais como: reforçar o controle de fronteira, interagir mais no intercâmbio de segurança com outros países e investir mais recursos para a área da segurança. #Ataque Terrorista