A crise política brasileira foi matéria de capa da revista Domingo – um suplemento que faz parte do jornal português Correio da Manhã – da semana passada (26 de Março). Com uma foto de uma nota de cem reais com o rosto do ex-presidente Luís Inácio #Lula da Silva e o título “Samba da Corrupção – o Brasil saiu para a rua. A reportagem e análise de um país à beira do caos”, a edição semanal trouxe uma longa reportagem sobre a atual situação política brasileira.

A reportagem - escrita por Mafalda de Avelar, Marta Martins Silva, Vanessa Fidalgo e Fernanda Cachão – começa citando a manifestação do dia 13 de março, quando cidadãos de 26 estados brasileiros foram às ruas para se manifestar contra a atual presidente Dilma Roussef e o seu governo.

Publicidade
Publicidade

Depois, fala sobre Sérgio Moro, o juiz de Curitiba que, aos 44 anos, lidera as investigações da Operação Lava Jato e foi considerado o homem mais poderoso do Brasil, em Julho/2015, pela Revista Época. A matéria destaca, também, os números da atuação de Moro ao longo dos últimos 24 meses: "120 prisões preventivas, meia centena de condenações e mais de meio milhar de empresas e de políticos sob escrutínio judicial".

E, finalmente, cita o episódio da nomeação de Lula, antigo presidente da República, para chefiar a Casa Civil e a suspensão do ato por ordem judicial, minutos depois da cerimônia.

“Tudo pode acontecer”, diz revista portuguesa sobre a situação no Brasil

Ao longo da reportagem são exibidas opiniões de analistas políticos brasileiros e portugueses, e também de cidadãos comuns, como a empregada doméstica Joelma Domingo - que vive no Brasil e é a favor da saída do governo da atual presidente - e o músico Pierre Aderne, radicado há décadas em Portugal.

Publicidade

Para Pierre, a corrupção é um “vício do próprio modelo” e, a atual disposição do governo federal para investigar está se transformando num golpe apoiado pela mídia.

De uma maneira geral, a reportagem relata o momento de incerteza e divisão que o Brasil vive atualmente. “O momento é tão intenso quanto imprevisível, daí que nem os especialistas em política – do lado de cá e de lá do Atlântico – arrisquem grandes previsões”, diz a matéria.

Segundo a revista, o ex-embaixador do Brasil em Washington DC e analista político Rubens Barbosa disse que “o Brasil vive um momento único em nossa história. Coexistem três crises profundas: econômica, política e ética”.

Para Léa Teixeira, correspondente do "Brasília Agora", a corrupção no Brasil é geral e o povo já está cansado disto. “O país precisa de quem o governe com honestidade, independentemente de ser de esquerda ou de direita”, afirma Léa.

Já o cientista político português José Adelino Maltez, que viveu e foi professor no Brasil, disse que “não se pode subestimar um povo que nos últimos 30 anos já derrubou um presidente e exigiu uma alteração do sistema presidencial.

Publicidade

Para João Pereira Coutinho, professor universitário e colunista do Jornal Correio da Manhã, qualquer previsão sobre o futuro próximo do Brasil corre o risco de ser fantasioso. Pereira Coutinho afirma que, apesar de improvável, a renúncia da presidente Dilma Roussef seria o gesto “mais higiênico de todos”. E termina, dizendo, “Se Deus é brasileiro, que proteja os brasileiros”.

E parece que a crise brasileira está até causando "problemas" do outro lado do oceano. Um restaurante da cidade do Porto decidiu mudar o nome de um de seus pratos (Bacalhau à Dilma) com a alegação de estar perdendo clientes. #Dilma Rousseff #Crise no Brasil