O sudoeste do Japão sofre com a destruição provocada por uma série de terremotos registrados desde a quinta-feira (14). Casas foram soterradas devido ao deslizamento provocado por uma avalanche de lama destruidora.  Até o momento, já foram registradas 41 mortes, milhares de pessoas ficaram feridas e dezenas se encontram soterradas. Autoridades receiam que ocorra outro deslizamento devido à previsão de chuva forte.

Cerca de 1000 socorristas e 25 mil soldados foram enviados pelo governo para região de Kumamoto, na ilha de Kyushu, para auxiliar no resgate aos feridos. De acordo com a Agência Meteorológica do Japão, o primeiro #Terremoto de magnitude 7, já havia causado a morte de 10 pessoas.

Publicidade
Publicidade

O segundo, durante a madrugada deste sábado, foi mais violento, com 7,3 graus de magnitude na escala Richter. Cerca de 130 réplicas atingiram o território, uma delas chegou a atingir 5,4 graus de magnitude.

Mais de 50 casas foram destruídas no distrito de Aso, moradores ficaram presos e foram resgatados por equipe de emergência. Milhares tiveram que abandonar suas residências. O abastecimento de gás e água foi interrompido e mais de 10 mil moradias ficaram sem energia elétrica. Um santuário milenar foi devastado e uma ponte de 200 metros destruída.

Posicionado sobre o chamado Círculo de Fogo do Pacífico, em uma zona de convergência de placas tectônicas, 20% dos terremotos mais potentes que ocorrem no planeta são registrados no Japão. 

Terremotos no Japão

Um dos terremotos mais potentes, de maior destruição, ocorreu em 1923, alcançando 8,1 graus de magnitude, provocando a morte de mais de 3 mil pessoas na Região Metropolitana de Tóquio.

Publicidade

Em 2011, o país foi atingido por tremores que registraram 9 graus da escala Richter, este registrado como o quarto maior do mundo e o pior do Japão. Sendai, na ilha de Honshu, foi atingido por ondas de 10 metros provocadas pelo terremoto.

Residências e ruas foram destruídas pelas ondas. De acordo com autoridades japonesas, 9.079 pessoas perderam a vida e milhares ficaram feridas. #Hospital #Chuvas Torrenciais