Um avião da companhia Egypt Air que seguia de Paris rumo ao Cairo desapareceu dos radares nesta madrugada de quinta-feira (19) por volta de 3h:39m. Não houve comunicação de situação de emergência antecedendo o desaparecimento.

A queda se deu, segundo informações do site ABC News, sobre o Mar Mediterrâneo, há cerca de 175 milhas da costa egípcia, informou a companhia a imprensa, que a aeronave levava 56 passageiros, além de tripulação de mais 7 pessoas e 3 agentes de segurança da Egyp Air. O avião era um Air Buss A320 fabricado no ano de 2003.

Causa da queda do Airbus A320

O ministro da aviação civil egípcio em entrevista a imprensa não descartou a possibilidade de atentado terrorista, mas disse que "e muito cedo para falarmos em terrorismo", concordando com o presidente Hollande.

Publicidade
Publicidade

O presidente francês François Hollande se manifestou e disse que a hora é de prestar solidariedade as famílias da vítimas: "Nesta fase, temos que dar prioridade à solidariedade para com as famílias", disse o presidente em entrevista esta manhã.

A fabricante da aeronave, na pessoa do seu porta-voz Jacques Rocca, disse a imprensa que não estão claros os motivos do que possam evidenciar um #Acidente: "Não temos nenhuma informação oficial nesta fase, da certeza de um acidente" disse o porta-voz.

Agência russa suspeita de atentado

Um oficial russo, chefe da principal agência de segurança da Rússia, disse que aparentemente o avião foi derrubado por um #Ataque Terrorista, Alexander Bartnikov disse que: "com toda probabilidade foi um ataque terrorista" a causa da queda da aeronave com 66 passageiros e reforça sua teoria com um pedido de ação conjunta para "rastrear os responsáveis por essa ação monstruosa".

Publicidade

O ministro da Aviação Civil egípcia, Sherif Fathi, disse ao site da ABC News em conferência a imprensa nesta quinta-feira (19) que a possibilidade de um ataque terrorista é "mais forte" do que a de uma falha técnica, mas que ainda é cedo para fazer afirmações precisas.

Último contato do voo 804 da Air Egyp

O voo 804 da Air Egypt perdeu contato com o sistema de rastreamento de radar sobre o Mar Mediterrâneo às 2h:45 a 37.000 pés de altura, O voo partiu do aeroporto Charles de Gaulle de Paris por volta das 11h:09 horário local.

O Airbus é hoje uma das aeronaves mais usadas em voos de curto e médio alcance, acomoda cerca de 150 passageiros e, por sorte, não estava lotada. De acordo com a empresa, cerca de 4 mil estão em operação em todo mundo.

A Grécia esta de prontidão para participar das buscas por destroços e resgate de possíveis sobreviventes. Helicópteros e uma fragata estão prontos na Ilha de Karpathos a disposição de autoridades para participação nas operações.