Um jornal da Zâmbia publicou uma reportagem com uma mulher de origem zambiana, cujo nome não foi revelado, que trabalha para uma indústria de beneficiamento de carnes na #China,na qual ela alerta para que os consumidores da Zâmbia evitem consumir a carne enlatada conhecida como (corned beef). Segundo a mulher este produto é beneficiado com salmoura. Em outra declaração polêmica, a funcionária afirma que alguns necrotérios da região de Pequim estariam fornecendo cadáveres para algumas indústrias de beneficiamento. Após ser processada, essa carne seria enviada para países da África. De acordo com a reportagem do jornal Diário Zambiano, outras testemunhas também afirmaram que é comum o envio de carne humana para países pobres, pois a China costuma reservar a melhor carne para os países mais ricos.

Demais Escândalos

Nos últimos anos, a indústria de alimentos da China foi envolvida em uma onda de denúncias, a maioria relacionadas à segurança alimentar do país.

Publicidade
Publicidade

No ano passado, um jornal chinês publicou uma reportagem, onde as autoridades confiscaram mais de 90 toneladas de carne de origem desconhecida, a maior parte havia sido congelada por mais de 30 anos. Em 2008, duas pessoas foram condenadas à pena de morte por distribuição de leite em pó contaminado com uma substância tóxica denominada de melanina. Em outra ação da polícia, comerciantes chineses foram detidos sob acusação de estarem vendendo carne de rato como se fosse cordeiro.

Outra denúncia gravíssima aconteceu em 2014, quando um repórter de uma estatal chinesa, em Xangai, conseguiu se infiltrar em meio aos funcionários de uma indústria alimentícia e filmar como os alimentos eram processados. Sem as mínimas condições de higiene, os funcionários da empresa Husi Food foram flagrados manejando a carne sem equipamentos adequados, juntando pedaços do chão e queixando-se que o produto cheirava mal.

Publicidade

Durante uma investigação, as autoridades de Xangai descobriram dentro da indústria centenas de milhares de produtos vencidos ou estragados, a maioria era processada com nova data de validade. Na época, a empresa abastecia a rede do McDonald's, atendendo mais de mil restaurantes em toda a China 

Insatisfação do governo chinês

O governo chinês pediu para que o governo da Zâmbia abra uma investigação sobre Diário Zambiano, com intenção de limpar o nome da China. De acordo com o embaixador chinês Youming, as imagens que estão circulando em redes sociais mostram que as fotos foram desenvolvidas por um programa de computador, para uma campanha de publicidade que pretende arruinar a imagem da China perante o mundo. Christopher Mulenga, vice-ministro da Defesa da Zâmbia, por sua vez, se comprometeu a investigar as fontes da notícia, lamentando o ocorrido.

Por sua vez, o governo da Zâmbia lamentou o ocorrido. Em nota, o presidente da Zâmbia, Edgar Lungu,declarou que a China está financiando importantes projetos de infraestrutura no país.

Publicidade

Mas, de acordo com jornais locais, o povo está insatisfeito com a interferência da China na economia do país.

De acordo com os funcionários, as empresas chinesas não respeitam as normas de segurança no trabalho, além disso pagam um salário baixíssimo. Segundo uma publicação da revista The Economist, entre os anos de 2005 e 2014, a China investiu mais de 32 bilhões de dólares no país africano, gerando emprego e renda para a população local. #Entretenimento #Curiosidades