Segundo informações do prefeito do município de Chacao, Ramon Muchacho, o próprio afirma que há pessoas caçando pombos nas praças para comer. Segundo mensagens do prefeito publicadas via Twiter, esta declaração não é uma simples brincadeira e sim uma verdade bastante dolorida. De acordo as informações, o povo venezuelano está sem comida, produtos de higiene e sofre com cortes constantes de energia elétrica e água.

No dia (3), circulou pelo pais a notícia de que cinco soldados venezuelanos foram presos em flagrante roubando cabras de uma igreja próximo ao município de Chacao. Em defesa, os soldados alegaram que praticaram o furto para terem o que comer.

Publicidade
Publicidade

O pais governando por Nicolas Maduro vem recebendo várias críticas por parte dos opositores. Segundo especialistas, a economia venezuelana vai de mal a pior e boa parte da população venezuelana está passando fome. Na última semana, o governo venezuelano resolveu adotar uma medida para tentar acabar com o contrabando de alimentos. De acordo com as autoridades do pais, essa é a principal causa da escassez de produtos básicos.

O presidente Venezuelano publicou uma lei que visa combater e fortalecer as operações policiais para controlar as manifestações denominadas de libertação do povo e prometeu acabar com as revendas. ''Esses revendedores são pragas na sociedade que estão prejudicando nosso povo'', discursou Diosdado Cabello, presidente da Assembleia Nacional.

Por outro lado, depois que o número de alimentos subsidiados aumentou, a revenda tornou-se uma atividade bastante rentável no pais.

Publicidade

Os revendedores não precisam agir como contrabandistas, eles simplesmente compram determinados produtos em supermercados e revendem de forma clandestina. A maior parte da população acaba comprando deles para evitarem longas filas em supermercados. Já simpatizantes do governo veem estes "bachaqueros'', como são conhecidos, como grandes responsáveis pela escassez de alimentos.

Segundo dados do Instituto de Pesquisas baseado em Caracas (Datanálisis), em 65% dos mercados da capital venezuelana não se encontram produtos considerados essenciais . Dentro dos domicílios a escassez foi classificada em torno de 20%. De acordo com a pesquisa, boa parte dos produtos regulados não são encontrados em redes de supermercados pois estão sendo comercializados  pelos “bachaqueros”. #Entretenimento #Curiosidades