Certamente quando o Facebook foi concebido, jamais foi cogitada a possibilidade de que algum dia, uma pessoa seria capaz de cometer um #Crime covarde e postar as imagens do corpo da vítima já sem vida, minutos após a morte.

Porém a barbaridade humana pode ser inimaginável e não ter limites. Segundo o jornal Extra, um homem matou sua namorada e logo em seguida compartilhou as fotos do crime no perfil da vítima. Saibam mais sobre este crime aqui.

Crime compartilhado no Facebook

Um homem do Texas nos Estados Unidos, é suspeito de assassinar a namorada com requintes de crueldade e compartilhar as imagens do corpo da vítima no perfil dela no Facebook.

Publicidade
Publicidade

Kenneth Alan Amyx, de 45 anos, é acusado de cometer o crime no último domingo (29), ele assassinou Jennifer Streit-Spears, em seguida tirou algumas fotos e postou na rede social.

Em uma das imagens ele aparece completamente ensanguentado, em outra foto, aparece o corpo da mulher já sem vida coberta de sangue, as imagens tinham a seguinte legenda: “Por favor, orem por nós”.

Quando a polícia foi acionada, se dirigiu ao apartamento da vítima, onde a encontrou já sem vida na manhã de domingo.

O suposto assassino ainda estava no local, com vários ferimentos pelo corpo, feitos a faca por ele mesmo. De acordo com o jornal “NY Daily News“, o oficial de polícia local, David Tilley, afirmou que a mulher foi esfaqueada até a morte.

Uma das irmãs da vítima que não foi identificada, ao ver as imagens no Facebook ficou horrorizada e mesmo em estado de choque, entrou em contato com a polícia.

Publicidade

Ela afirmou que não conseguia retirar as fotos da rede social, e disse que a princípio o Face, não entendeu que se tratava de um crime. “Eu pedi para eles (Facebook) removerem as fotos várias vezes, e eles só diziam que se eu não gostava do que via poderia bloquear Jennifer".

Depois de um tempo, finalmente as fotos foram retiradas da rede social, e o perfil da vítima transformado em uma página in memória de Jennifer.

Ao efetuar a prisão do suposto assassino, a polícia descobriu que ele já era procurado por dois crimes sexuais graves. Um dos crimes seria de abuso sexual a uma criança. #Investigação Criminal #Casos de polícia