Yamato Tomooka, de sete anos, está desaparecido desde o último dia 28, quando após retornar de um passeio em um parque próximo à montanha, os pais do garoto perderam a paciência com seu comportamento.

Segundo os pais, o menino atirara pedras contra os carros e os pedestres, motivos pelas quais os pais obrigaram a criança a descer do automóvel.

Inicialmente, ao informar o desaparecimento do garoto os pais disseram à polícia  que ele havia se perdido da família, enquanto estavam no bosque colhendo frutos, porém, mais tarde, admitiram que obrigaram o filho a descer do carro como forma de castigo pelo seu mau comportamento.

A criança foi deixada em uma estrada perto do monte Komatagake, na ilha de Hokkaido.

Publicidade
Publicidade

Eles alegaram à polícia que deixaram o menino em uma estrada e andaram por mais quinhentos metros, porém, quando retornaram dez minutos depois, o filho não estava mais no local.

Um representante do município local, Wakayama Mitsuru, manifestou sua preocupação, pois na região passam poucos carros e ela é utilizada mais como um atalho, além de não ser raro o aparecimento de ursos selvagens.

No momento, mais de cento e trinta pessoas, entre bombeiros, policiais e pessoas ligadas à escola, estão mobilizados no local desde sábado, em busca do garoto. No dia do desaparecimento, Yamato Tomooka vestia shorts, moletom preto e tênis vermelhos. O menino não tinha telefone celular.

As autoridades estão verificando se os pais poderão ser processados por abandono de incapaz.

Muitas pessoas apresentaram indignação nas redes sociais em relação a esse caso, manifestando preocupação com a criança deixada em local deserto, em região povoada por animais selvagens, sem água  ou comida. 

"Isso não é um castigo, e sim um abuso", dizia uma postagem no Twitter. "Não tenho nem palavras", dizia outra.

Publicidade

O pai do menino, Takayuki Tomooka, de 44 anos, admitiu estar angustiado pelo desaparecimento do filho e envergonhado por estar causando problemas a tantas pessoas. 

Até o momento, a equipe de resgate não encontrou nenhuma pista sobre o paradeiro do garoto.  #Crime #Investigação Criminal #Casos de polícia